quinta-feira, 25 de junho de 2009

Vou me afogar!!!





"Nem tanto ao mar, nem tanto à terra"...


Belo esse ditado... Diria até poético. Bom, e o que se pode dizer de seu enorme anseio pela boa medida das coisas? Boa medida... Isso que tantos procuram. Equilíbrio. em busca da cura para o novo "mal do século", o famigerado estresse. Palavrinha nova que denota que tudo está muito desequilibrado dentro de você.
Nossa! Ninguém mais pode se sentir alegre demasiado, nem triste... Está com problemas o pobre indivíduo!
Problemas tem, ao meu ver, a criatura que só vive com aquela cara de paisagem... Sabe como é? Então... Aquela cara daquele infeliz que já descobriu o que faz a pessoa ser o tempo todo tranquila...
Onde estará, minha gente, a deliciosa dialética? Sabe, aquela coisinha que muitos chamariam de antítese das coisas???

Pois eu digo que gosto MUITO de sorrir... E gosto MUITO de chorar também! Gosto MUITO da chuva, e dos dias em que não chove. Gosto do calor, porque me faz pensar que o inverno vai chegar.
Gosto de me sentir triste, porque sei que o próximo sorriso será mais gostoso ainda do que as lágrimas que verti. É delicioso saber que alguém no mundo não gosta de mim, e mesmo não me ama... Porque mais delicioso ainda é saber que há no mundo os que me amam. E há também os que amo.
Quão divino é estar num lugar fechado por horas a fio, e depois sair e, encantada, ver que o sol ainda brilha com todo o seu fulgor tendo como cenário um lindo céu azul... E que surpresa boa é sair de um ambiente iluminado por aquelas irritantes luzes brancas que nos empalidecem , e se deparar com um céu cheio de estrelas, ou com uma linda lua brilhando, majestosa, iluminando a noite com sua luz refrescante...

Como é legal, depois de muitos aborrecimentos no trabalho, depois de enfrentar gente grosseira, chata, indecisa, encontrar seu animalzinho de estimação sempre disposto a lhe agradar com seu amor e carinho incondicionais, e "sorrir" com suas brincadeiras inocentes.

É bom passar um período amargando a dor da solidão, e depois encontrar alguém que lhe espere, que lhe abrace, que lhe ame, com aquele sorriso que, por si só, já faz você sentir que tudo vale a pena...
Sabe, aquele abraço tão aconchegante? Dormir abraçadinho, acordar com uma chuva de beijinhos e, ao som de uma risada gostosa ouvir um sussurro ao pé do ouvido: "Amo você! Você é o amor da minha vida!" Meu Deus, que maravilha!!!
Dá para essa pessoa com cara de chuchu, gosto de chuchu ser feliz?

Então, tá... "Nem tanto ao mar, nem tanto à terra"... Dá para ser numa ilha?
E, quando enjoar da ilha, dá para ser lá em casa, ou na minha vida? E, se enjoar de mim, que tal ser na sua casa, na sua vida?
E se enjoar de nós dois, que tal experimentar irmos separados para o meio do nada, para sentirmos falta um do outro?

E, quando sentirmos saudade, começar tudo novamente?
Vamos lá!!! Deixa de ser tão equilibrado e sinta o que há na vida por sentir...
Lança sua vida ao mar, e quebre sua cabeça na terra... Nada mais chato do que viver suspenso no ar... Você não acha?




Faz um tempinho que eu escrevi o texto acima... Resolvi revisitá-lo a ver se ainda pensava deste modo... Quer saber?
Taí um fato que em mim não mudou: A vontade de fazer e ser feliz, e de viver os fatos e os sentimentos por inteiro.
Tomara que esta vontade me faça mudar sempre, sem que eu me esqueça de quem sou... E que esta seja também sua vontade, que sua vida seja mais do que uma perfeita operação aritmética!!!
Beijos a todos!!!

Um comentário:

Anônimo disse...

Boa noite, Gabrielle!

Realmente, as adversidades tornam a vida mais interessante, mais colorida... É estímulo ao progresso, bênçãos para a evolução dos relacionamentos. Já pensou uma vida sem riscos, contradições, aventuras ou emoções? Tudo em troca de uma vida tranquila, de um suposto equilíbrio? Ah, de jeito nenhum! O equilíbrio não está na tranquilidade, na ausência de provações... Considero o equilíbrio da vida como as asas de um avião. De um lado a asa "alegria", do outro a asa "dor". É fundamental o equilíbrio dos lados para a decolagem rumo a conquista do amor...
A alegria que incentiva é irmã da dor que aperfeiçoa... É bom o calor que modifica... É bom o frio que conserva...
Beijos. Paulo