segunda-feira, 22 de março de 2010

Um pedido...

Gosto muito de agradecer. Demais. E detesto pedir. Acho algo extremamente incômodo para mim. De modo que peço quase nada para Deus.
Eu tenho muito mais para agradecer do que para solicitar. Claro que muitas vezes eu tenho de pedir que Ele faça algo por mim, embora eu saiba que, de antemão, Sua mente e coração já sabem todos os meu intentos e mais, tudo quanto eu necessito.
Passei mais um fim de semana magnifico, como tantos outros que já comentei aqui por esse Universo de linhas fiadas em letras.
Nada de muito espetacular. Apenas o fato de estar com alguém que se ama profundamente.

E, hoje, este post tem destinatário certo:


Meu Amor,

Como é bom dormir e acordar tendo ao seu lado a pessoa com quem você deseja passar o resto dos seus dias. Saber que é real. Que tem um abraço que lhe satisfaz. E que tem uma voz doce e terna que acalma a tempestade que é você.

É maravilhoso saber que essa pessoa que abriu os olhos e lhe deu um sorriso de "bom dia" foi alguém que não desistiu mesmo quando era para desistir. Que lhe amou mais que a si mesmo e colocou a sua vida à frente de todas as convenções estabelecidas.

Eu nunca na vida tive tanto... Até já pensei que tivesse. Mas, hoje, olhando para trás, o que eu deixei pelo caminho que se desfez atrás de mim foram apenas traços daquilo que seria.
É sublime o fato de sentir os seus cuidados e a ternura que jamais imaginei que pudesse haver no mundo. E passear de mãos dadas sentindo o vento no rosto... E calar-se para esperar. Sentir que o tempo passa demoradamente quando está longe. E voa quando se está perto.

Voltar para casa e conversar. Só conversar. Demoradamente... Ou melhor, me ouvir falar, falar, falar e falar... Hehehehehe!!!

Mas ontem eu também ouvi muito. E aprendi. E quero aprender cada dia mais. E respeitar. Sempre. E, quando não puder fazê-lo, desejo me calar. E quando não puder me calar, que eu não magoe - ao menos. Se magoar, que tenha a capacidade de pedir que me perdoe - com sinceridade.

Desejo muitos e muitos outros momentos como aqueles. Tão singelos. Só pelo simples fato de você estar por perto. Nada mais.

Talvez haja dias não tão agradáveis... Afinal, cada um tem as suas manias e limitações. Mas, que isto não nos fira a ponto de matar tudo de bom que passou até aquele momento.

Eu não posso nunca deixar de agradecer. Por essas pequenas coisas. Que para mim são enoooooormes.

E não me canso de agradecer por você não desistir de mim. Por esperar a dor sarar. Por aguardar o tempo necessário para eu limpar meu coração para um novo amor. Por me amar. Porque isto é amar. Estar por perto quando se precisa. Enxugar as lágrimas de dor. De saudades. De emoção. E rir junto. Ouvir e discordar. E, mesmo com alguns abismos entre nós, saber que eles fazem parte da linda paisagem que somos.

Ontem eu não lhe disse. Mas, eu me dei conta de que o amava um pouco antes daquela postagem... Foi quando você, por conta de uma dificuldade, levantou a possibilidade de me deixar. Eu senti uma enorme tristeza em pensar que poderia ficar um dia sequer sem seu amor.

Claro que, se você sentisse que meu afastamento iria lhe fazer sentir-se melhor e mais feliz, eu iria embora... Mas isto, certamente, iria ferir meu coração como eu não sabia que poderia ser. Até aquele momento eu não sabia ao certo o que eu sentia. Estava no meio de uma enorme confusão, você sabe.

Eu voltei para casa com o coração gelado. Eu não queria - e mais - não podia abrir mão de você. Daí veio aquele falatório de morrer - eu hein! - E eu quase morri. Não podia MESMO vislumbrar a possibilidade de um mundo sem você. Você não sabe, mas naquele momento eu fiz um pedido a Deus - eu que não gosto de pedir... Mas, deixa esse pedido aqui escondido no meu coração...

Hoje eu considero um grande privilégio poder compartilhar a minha vida com você. E maior honra destinar o meus dias de vida para viver ao seu lado.

Espero apenas estar à sua altura... À altura da sua dignidade, da sua gentileza, da sua ternura... Da pessoa que você é. Do seu amor.

Hoje eu ouso fazer um pedido ao Pai: Que me permita desfrutar muito - e sempre - de você. Que Ele não me tire esta felicidade nem esta alegria que eu sinto agora dentro de mim. Eu peço isto, sim. Porque ainda tenho o medo que me invade o coração. Pois sei o quão indigna sou... E que mereço menos que nada.

E a você, Meu Bem, eu peço apenas que me ame. E que não deixe de me oferecer essas pequenas coisas, esses pequenos gestos que fazem meu coração cantar, me emocionam e me façam verter lágrimas de alegria, como as que acabo de derramar depois da pequenina frase que há pouco ouvi de você: "Amo você"!

Eu também.

sexta-feira, 12 de março de 2010

Gerúndio...

Sou formada em Letras. Apaixonada pela língua Portuguesa, por Literatura, Artes, História, Filosofia... E sou professora de Espanhol. Agora sou professora...
Era esta a novidade que eu tinha para contar. Após 4 anos de espera fui, enfim, chamada para assumir o cargo de Professora da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal.
Tenho agora, sob minha responsabilidade, nada mais nada menos de 1000 cabecinhas pensantes, com realidades totalmente distintas da minha e de todas as demais.
E a vida segue. É difícil, mas é bom.
E no meio de tantas e tantas mudanças - novo emprego, novo amor, nova cidade para morar - eu estou sempre no meio do tal do Gerúndio.
Gerúndio é uma figurinha da Língua Portuguesa que poderíamos comparar ao tal do presente contínuo que existe em outros idiomas. A tal terminação ENDO - ANDO - INDO. Que indica uma ação contínua, em processo.
E só se aplica nesses casos. Exemplo: Estou fazendo um pão. Estou dirigindo. Estou falando ao celular.
E NÃO se usa naquelas famosas situações: Vou estar fazendo. Vou estar passando a ligação, etc, o que pressupõe que a criatura fará aquilo ad infinitum. E, convenhamos, eu não tenho o menor interesse que algum operador de telemarketing faça qualquer coisa para mim indefinidamente... Se bem que, muitas vezes eles fazem jus ao mal uso do pobre e incompreendido Gerúndio, uma vez que ficam a nos passar de setor em setor, o que me faz pensar que eles, de fato - estão passANDO...
Bom, todo esse palavrório para dizer que eu amo dizer que estou aprendENDO. Porque a vida é um eterno aprendizado. E ela é uma longa caminhada. E eu continuarei caminhANDO. E também é uma alegria imensa, pelo que ouso dizer que continuarei sorrINDO.
Quanto à nova função - ensinadora - eu digo apenas que continuarei aqui até quando eu conseguir. Mas, é muito bom. E, como me disse o Ministro, é viciante.
Quanto ao amor... Espero que seja um Gerúndio eterno... Por milhares de razões.
E, de Gerúndio em Gerúndio... Espero que minha vida seja cheinha deles... Dos bons. E dos não tão bons também.
E a vocês de quem tenho muitas saudades um Gerundismo verdadeiro e certo: Estou morrENDO de saudades... SentINDO muita falta de acompanhá-los (as): Elisa, Adri, Claudinha, Gabi, Rafa, Flávia...
Beijocas!!!

Obs: Tenho de entrar em sala agora... Depois termino de linkar meus amigos queridos!!! Beijos!!!

quarta-feira, 10 de março de 2010

Ainda sem internet, aproveitando cada nesga de tempo para estar aqui bisbilhotando minhas amigas e amigos...
Gratíssima pelo carinho de todos!!!
Logo voltarei com novidades!!!
Beijooooooooooo!!!

sábado, 6 de março de 2010

Entremeios...

Entre a saudade e o reencontro existe a falta...
Ela é o que dói.
E, aínda que não seja dor, é a agonia, ou ainda, um incômodo na alma.
De qualquer forma que ela se apresente nos
entremeios
daquilo que é bom, é a sua presença
a cura,o alento, a alegria que me fazem esquecer da falta que você me faz.
Amo. Um tatanhão ... .