quarta-feira, 16 de junho de 2010




O princípio da fé é não ver e não saber e, mesmo assim, crer. Descobrir-se grávida é mais ou menos assim.
Ser mãe é um fato que não acontece com um - LINDO - positivo em um exame de sangue.
Passa pelo tempo que vai passando, pelo estado emocional em que se encontra no momento, e por todos os sintomas físicos e, ainda, pelos psicológicos que nos envolvem.
Chega a ser meio surreal. Você sente os sintomas: A menstruação não vem mais, você sente um mal estar generalizado, enjoos, os seios doloridos, mais sensível emocinalmente... Qualquer coisinha lhe faz chorar. Mas, você não vê nada, não sente o bebê mexer...
Ainda assim, estou em estado de graça. Este é meu estado emocional. Estado de graça... Emocionada, extasiada. Mesmo sabendo dos desafios que enfrentarei pela frente.
Em primeiro lugar porque estou sendo inundada de amor, de carinho e de compreensão. Eu já imaginava que seria bom. Mas, não sabia que seria tão bom assim!!!
Não. Eu não estou sendo mimada como muita gente pode pensar. Não além do que eu já era, pelo menos. Mesmo porque eu já estava sendo muito bem cuidada. Também não estou cheia de vontades, não. Estou é sem. Naquela fase terrível dos enjoos. Do sono interminável. Enfim...
Para mim, entretanto, mais importante é o companheirismo, o cuidado e o amor que sinto.
A família está feliz, os amigos radiantes, e nós - os pais - estamos maravilhados!!!
Dou tanto valor às pequenas coisas, aos pequenos gestos... Agora, os micros, para mim, são do tamanho de um universo inteiro.
No último dia 10, descobri que meu Universo contava - até aquele momento - com 3,27 cm. E só cresce e se desenvolve assombrosamente dentro de mim.
É uma pessoinha, uma miniaturazinha de um bebezinho, com mãozinhas, pezinhos e um coraçãozinho acelerado cujo som das batidas me fez derreter de paixão!!!
Ainda que fosse só uma manchinha na tela do consultório médico, eu já era louca por esse serzinho... É meu!!! Fruto de um amor sincero, de uma amizade que só cresce, de um carinho sem tamanho.
Eu nem sei dizer o quão apaixonada estou. Pela primeira vez na vida eu não sei o que dizer... Não consigo deixar de ver a imagem do meu bebê, ali quietinho com o coraçãozinho a mil. Depois se mexendo pedindo para não ser incomodado... Que gracinha!!!
Agora, a vida - que já estava em franco processo de mudança - ficará totalmente diferente.
O casório, que sairia no final do ano, agora será no fim do mês que vem! Daí, casa para arrumar, enxoval do bebê para preparar, parto que vai chegar, rotinas que mudarão... Não vejo a hora!!!
Sei que tudo será muito difícil. Mas, também tenho a certeza de que agora será tempo de construir. E depois, de colher... E estou tão feliz, mas tão feliz. Que, de tão feliz que estou me faltam palavras.
Agora, tudo é menos do que eu... Tudo. O Amor é mais importante, e o filho(a) então, nem se fala!
Como é maravilhoso esse novo mundo de descobertas... E como é bom se apaixonar novamente. No caso, minha nova paixão é meu bebezinho...
Algumas paixões são muito boas. E essa, eu acho, é a melhor de todas.