sábado, 30 de maio de 2009

Decidi: Amarei!!!



"Quando o amor vos chamar, segui-o,
Embora seus caminhos sejam agrestes e escarpados;
E quando ele vos envolver com suas asas, cedei-lhe,
Embora a espada oculta em sua plumagem possa ferir-vos;
E quando ele vos falar, acreditai nele,
Embora sua voz possa despedaçar vossos sonhos como o vento devasta o jardim.
Pois, da mesma forma que o amor vos coroa, assim ele vos crucifica. E da mesma forma que ele contribui para vosso crescimento, trabalha para vossa poda.
E da mesma forma que ele sobe à vossa altura e acaricia vossos ramos mais tenros que se embalam ao sol,
Assim também desce até vossas raízes e as sacode no seu apego à terra.
Como feixes de trigo, ele vos aperta junto ao seu coração.
Ele vos debulha para expor a vossa nudez.
Ele vos peneira para libertar-vos das palhas.
Ele vos mói até a extrema brancura.
Ele vossa amassa até que vos torneis maleáveis.
Então, ele vos leva ao fogo sagrado e vos transforma no pão místico do banquete divino.
Todas essas coisas, o amor operará em vós para que conheçais os segredos de vossos corações e, com esses conhecimento, vos convertais no pão místico do banquete divino.
Todavia, se no vosso temor procurardes somente a paz e o gozo do amor,
Senão seria melhor para vós que cobrísseis vossa nudez e abandonásseis a eira do amor,
para entrar no mundo sem estações, onde rireis, mas não todos os vossos risos, e chorareis, mas não todas as vossas lágrimas.
O amor nada dá senão de si próprio, e nada recebe senão de si próprio.
O amor não possui e não se deixa possuir.
Pois basta-se a si mesmo.
Quando um de vós ama, que não diga 'Deus está no meu coração', mas que diga antes: 'Eu estou no coração de Deus'.
E não imagineis que possais dirigir o curso do amor, pois o amor, se vos achar dignos, determinará ele próprio o vosso curso.
O amor não tem outro desejo, senão o de atingir a sua plenitude.
Se, contudo, amardes e precisardes ter desejos, sejam estes vossos desejos:
'De vos diluirdes no amor e serdes como um riacho que canta sua melodia para a noite;
De conhecerdes a dor de sentir ternura demasiada;
De ficardes feridos por vossa própria compreensão do amor;
E de sangrardes de boa vontade e com alegria;
De acordardes na aurora com o coração alado e agradecerdes por um novo dia de amor;
De descansardes ao meio-dia e meditardes sobre o êxtase do amor;
De voltardes para casa à noite com gratidão;
E de adormecerdes com uma prece no coração pra o bem-amado, e nos lábios uma canção de bem-aventurança".

Gibran Khalil Gibran - O Profeta





Que texto magnífico, não?


Ele tem profundidade em todos os aspectos... Na estilística, fruto da maravilhosa mente de Gibran e da cuidadosa tradução de Mansour Challita, e o é também em seu conteúdo intenso e sincero, resultado de uma vida dedicada à incessante busca pela verdade do amor.

O próprio Gibran disse: "Vim para viver na glória do amor e na luz da beleza. Vim para expressar o que adormece no coração de cada um de nós. O que sinto hoje na minha solidão, o futuro exibirá para todos. E o que digo numa só voz o futuro repetirá em cem vozes".

Comparo o amor a um oceano... No qual, quando mergulhados, não podemos mais sair. É preciso coragem para essa grande incursão no amor... Seja ele de que espécie for... Porque, quando lá mergulhados, não há a menor chance de volta... E os que, ainda assim, conseguem retornar, jamais serão os mesmos...
O amor tem muitas faces, mas é um só... Nasce de uma mesma fonte que é inesgotável...
E sua profundidade, de fato, é bela. A poderosa voz de suas ondas é, ao mesmo tempo estrondosa e suave: Acalenta, ao tempo em que fere... Porque simplesmente não se pode deixar de ouvi-la...

O amor não é egoísta... Egoístas são nossos medos que nos afligem dioturnamente... Medo de ficarmos sós, medo de sofrer... E o amor, muitas vezes nos deixa sós e nos faz sofrer...
Sim, porque só quando se ama é que se sabe o quanto é duro deixar ir embora. Mas, a gente deixa, mesmo sabendo que o ser que amamos sofrerá longe de nós e nada poderemos fazer para que isto não aconteça... Porque, apesar de amarmos, apesar de deixarmos a nossa parentela para nos tornarmos uma só carne, tornamo-nos uma só carne, mas não uma só alma, não um só espírito.
E cada um deve aprender a viver, ninguém pode viver a vida de outro... Lição dura tem sido esta para mim!!!
E ele faz assim conosco para que aprendamos a nos libertar de nós mesmos!
Assim é que eu fico "ferida por minha própria compreensão do amor", porque sei o que é a "dor de sentir ternura demasiada"...


Disse também Gibran : " Pois assim tem sido sempre com o amor. Ele só conhece a sua própria profundidade na hora da separação".
E não é assim, muitas vezes?
É preciso ficar longe e sentir saudade para sabermos qual é a medida do nosso amor...
Isto acontece o tempo todo ao longo de nossa vida... Acontece com nossos pais, acontece com nossos irmãos, acontece com nossos amigos, com nossos companheiros, com os filhos, e assim por diante.
É amor!!! Este oceano incompreensível que só revela suas belezas e perigos a quem está disposto a mergulhar sem medo de perder o fôlego, sem medo de se despedaçar nas ondas, sem medo de enlouquecer no silêncio de suas vagas... Sem medo de se arrepender por, muitas vezes, achar-se enganado...

Eu, depois de muuuuuuuuuuito pensar, cheguei à conclusão: Ainda com medo, amarei! Seguirei a voz do amor que me chama, ainda que ele possa despedaçar os meus sonhos... Amarei! Sim, amarei, porque sei que, desta vida, é só o que levarei comigo, e é apenas o que deixarei de verdadeiro valor àqueles a quem amo. Tudo o mais é só vaidade... Deixarei, então, apenas meu amor... Amor!!!
Só impressões, sem pretensões!!!

Bom sábado a todos!!!


sexta-feira, 29 de maio de 2009

Mais Que Amigos... Companheiros



Par Perfeito

"Se você me ama e eu o amo, então você é meu “Par Perfeito”...Se você me quer ver feliz, e eu a você, então, meu bem, o que estamos esperando?Se você respeita o meu espaço e eu o seu, então, seremos um bom par...Se você me ouve e eu o ouço, então, podemos ouvir música e dançar juntos.Se você me sente, e eu sinto você, então, podemos andar de mãos dadas por aí. Se você prova do meu amargor, e gosta – assim, como quem gosta do amargo do jiló por saber que é o amargo que faz o jiló ser o que é – e eu bem assim a você, então, podemos compartilhar nossos problemas...Se você me faz emergir do Lago de Narciso e eu quebro seu Espelho, então, podemos olhar um nos olhos do outro...Se você confia em mim, e eu em você, então podemos largar nossas mãos e andar separados um pouquinho. Voltaremos a dar as mãos porque sentiremos saudade...Se você é meu amigo e gosta de estar perto de mim, e eu bem assim de você... Então, dividiremos tudo.Se você é o meu amor, e é também meu companheiro, e eu o seu amor, e também a sua companheira... Então, você é meu “Par Perfeito”, e eu me contento em estar ao seu lado... Se estiver no seu coração!"


Escrevi este texto há algum tempo para preencher aquele campo do nosso Profile do Orkut "Par Perfeito"...

Bom, há algumas considerações que gostaria de fazer a respeito desse texto porque boa parte de quem lê não presta a atenção que eu gostaria ... Uma pena.

Tenho quase 30 anos, dos quais passei quase 10 casada. E, entre erros e acertos, eu acho que aprendi algumas lições que gostaria muito de compartilhar. Claro, que não chega aos pés do conhecimento de alguns que estão na vivência conjugal há muuuuuuuuito mais tempo.

Então... A primeira é a respeito da reciprocidade... Sabe, uma união, seja ela de que forma for, é feita de trocas. Sem elas não é união, mas uma doação individual.

Só há uma união se o que ama é amado! E só se faz alguém feliz se o desejo do indivíduo é fazer o outro feliz, antes mesmo de querer ser feito feliz ou de estar feliz.

O segredo de saber o que o outro deseja é ouvir... E muitas vezes este "ouvir" ultrapassa as barreiras do nosso sistema auditivo. É como disse Gibran em seu maravilhoso livro O Profeta a respeito da amizade: "Quando ele (o amigo) se cala seu coração continua a ouvir seu coração"...

É importante que haja amizade, antes de tudo!!!

Sabe, ao longo desses anos eu percebi, em meu casamento fracassado, e em muitos outros que não vão bem das pernas, que falta a amizade.

Amigo de verdade é aquele com quem você pode falar de tudo, que muitas vezes lhe magoa com as verdades - e não-verdades também - mas, mesmo assim, você repensa e o ama mesmo assim pois, como dizia nosso Guimarães Rosa, "Amizade dada é amor".

E é um amor muito curioso... Amigos são pessoas que não têm aparentemente nada a ver um com o outro, nasceram em lugares diversos, têm usos e costumes diferentes e, inexplicavelmente são amigos!!! E se amam!!!

Como pode ser? Há amizades que perduram vidas inteiras sem jamais acabar, mesmo quando essas pessoas se ofendem...

Por que não podemos, oras bolas, sermos amigos de nossos companheiros? Podemos ter amigos e não podemos ter companheiros amigos? Como assim???????????????

Dizem-nos e dizemos: Quero uma mulher, quero um homem!!!

Poxa, não dá para querer uma mulher ou um homem que também sejam nossos amigos?

Se for assim, há o respeito, acontece o ouvir, acontece o sentir... Sentimos o coração de nossos amigos... Podemos sentir o coração de nossos parceiros...

Amamos nossos amigos com toooooooodos os seus defeitos, com todos os seus amargores... Por que não pode ser assim com nossos cônjuges?

Poxa, seria tudo tão mais fácil se fosse assim, não seria? Por que somos muito mais francos e verdadeiros com nossos amigos do que com nossos cônjuges? Não caia neste erro!!! Não faça isto consigo, nem com a pessoa que você ama!

Demais considerações gostaria de fazer, também, a respeito dessa história de olhar para o outro.

Sabe, já reparei que as pessoas não aceitam as outras como elas são, com suas qualidades e seus defeitos.

Mário Quintana escreveu um textinho do qual gosto demais:

"E disse o elefante às rãs que em torno dele saltam: 'Tenham mais compostura! Oh, céus! Que piruetas incríveis!'Pois são sempre nos outros desperezíveis as qualidades que nos faltam"...

Que maravilhoso texto... Tão pequeno e tão intenso ao mesmo tempo!

Acontece que ele é maravilhoso porque é verdadeiro. Esta é a questão... Quando vemos os "defeitos" de alguém, na verdade podemos vislumbrar aquilo que, na verdade, não temos em nós mesmos... Uma espécie de invejinha básica, sabe como é?

Então, quando eu me refiro ao Lago de Narciso e ao Espelho, eu quero dizer, em outras palavras: "Se você pode me fazer parar de olhar para mim mesma, e eu consigo fazer com que você pare de olhar só para si mesmo, então, podemos olhar, um nos olhos do outro, e, assim, tenha por certo que nos enxergaremos um ao outro sem nos depararmos com as qualidades que nos faltam um no outro, e sem qualquer distorção..."

Olhe seu parceiro(a) como a seu melhor amigo(a)... Nada será melhor, você vai ver...

Vá além da amizade nos momentos em que seus cinco sentidos físicos estiverem a serviço daquele(a) que detém seu amor...

Quando seus olhos o olharem com admiração e ternura, quando suas mãos o tocarem com suavidade terna, quando provar dos seus doces beijos derretendo-se em seus braços, quando sentir seu cheiro marcante e ainda, quando estremecer de tanta emoção só por ouvir a sua voz...

E extrapole ao amigo(a)-companheiro(a) o uso dos muitos sentidos que possui a sua alma...É ela quem fará que você sinta tudo aquilo descrito acima quando seu corpo estiver em função do ser amado...

E aí, queridos, quando houver o amor, haverá o tal "Par Perfeito", que só não é perfeito porque está além de nossa compreensão acreditar que aquilo de que não gostamos no outro é apenas aquilo que desejamos em nós mesmos...

Abraços a todos e um excelente fim de semana!!!




quinta-feira, 28 de maio de 2009

Mea Culpa


Já ouviram falar da Síndrome de Adão?
Bom, quando Eva comeu do Fruto do Conhecimento do Bem e do Mal e o deu ao seu companheiro Adão, e ambos foram descobertos em seu pecado, Deus perguntou - como se já não soubesse - o que Adão havia feito. Ao que Adão lhe respondeu: " A mulher que tu me destes, ela me deu da árvore e eu comi." Seguindo o exemplo de seu marido, Eva, por sua vez, disse: "A serpente me enganou e eu comi". E a serpente, como não tinha a quem mais acusar, recolheu-se à sua insignificância e se calou...
Então... Tenho reparado que quando acontece algo, sempre temos a tendência de acusarmos aquele que está mais próximo de nós. E, ao contrário do que fez a mítica serpente, as pessoas, mesmo quando não tem a quem acusar, não se calam!
Nunca assumem seus erros! Porque isto acontece?
É algo a se pensar...
Se no trabalho as coisas não vão bem a culpa é do chefe, do colega ao lado, do horário em que acordamos, das milhares de atividades que temos durante o dia?
Se nossa casa está uma bagunça, a quem culpamos? Os filhos, o marido, a empregada?
Se estamos doentes a culpa é do tempo?
Se o relacionamento conjulgal não vai bem a culpa é de nosso parceiro?
Não!!! Digo com veemencia: NÃO!!!
A culpa é minha, é sua!!!
Se não vou bem em minhas relações de trabalho, a culpa é minha que não sei lidar com situações adversas... Se a casa está uma bagunça, a culpa é minha que não tomo a iniciativa de arrumar ou de comandar a arrumação, se adoeço, a culpa é minha que não me cuido como deveria... Se o meu relacinamento amoroso não vai bem a culpa é minha que não posso satisfazer as necessidades do meu companheiro, ou não sei lidar com meus sentimentos e ações para com ele...
Cruel? Sim é!!!
Tenho ouvido muitas pessoas dizerem para mim que não é minha culpa... Sim, é sim!!! Mea culpa, mea culpa, mea maxima culpa!!!
Gente! Só posso ser responsável por aquilo que eu faço, não pelo que os outros fazem!!!
Meu lindo avozinho costuma dizer: "Coração dos outros é terra em que ninguém anda". Em meu coração, porém, eu posso caminhar. E a caminhada rumo ao conhecimento de nós mesmos é árdua e dolorosa!!! E só podemos consertar aquilo que há de errado conosco, não com o outro!!!
Assim, sigo dizendo, Mea culpa, mea culpa, mea maxima culpa...
E seguirei tentando fazer sempre o melhor, jamais culpando os outros pelos meus erros ou acertos... Mas, se alguém estiver disposto a me ajudar a acertar, estamos aí!
Tentando, tentando... Prometo que tentarei não acusar, não apontar meu dedo indicador na sua cara linda! Porque sei que sou responsável apenas pelos meus atos, jamais pelos seus...
Este papel de Acusador não me cabe, graças a Deus!!!
E quanto ao meu amigo(a) leitor(a)... Qual papel lhe cabe? Não me acuse, não acuse o outro... Pense em seus atos e responsabilize-se por eles... Vai ver como tudo fica mais simples quando não olhamos somente para o outro com o intuito de acusar...
Penso que na próxima postagem eu falarei algo sobre esta história de olhar para si mesmo e para o outro... Mas, tenho ainda de pensar...
Só impressões, sem pretenções!!!
Beijos a todos os visitantes!!! Que seu dia seja espetacular!!!

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Obra de Tapeçaria



O Tapeceiro
Composição: Stênio Marcus

Tapeceiro, grande artista
Vai fazendo o seu trabalho
Incansável, paciente no seu tear.

Tapeceiro, não se engana
Sabe o fim desde o começo
Traça voltas, mil desvios sem perder o fio.

Minha vida é obra de tapeçaria
É tecida de cores alegres e vivas
Que fazem contraste no meio das cores
Nubladas e tristes.
Se você olha do avesso
Nem imagina o desfecho
No fim das contas, tudo se explica,
Tudo se encaixa, tudo coopera pro meu bem!

Quando se vê pelo lado certo,
Muda-se logo a expressão do rosto,
Obra de arte para Honra e Glória do Tapeceiro.

Quando se vê pelo lado certo,
Todas as cores da minha vida
Dignificam a Jesus Cristo - O Tapeceiro!

Sei que a maior parte das pessoas diz crer na Soberania de Deus... Mas, o que é, de fato, a tal Soberania?
Soberania é
"Qualidade ou condição de Soberano." - Houaiss
E o que é ser Soberano:
"Que exerce o poder supremo, tem autoridade. Que exerce, SEM RESTRIÇÃO, NEM NEUTRALIZAÇÃO, poder ou autoridade suprema. Que detém o poder, dominador, influente. Que impõe decisão, que define, decisivo. Poderoso ou potente nos seus atos e efeitos. Poderoso, INFALÍVEL, QUE OCUPA O PRIMEIRO LUGAR. Que atinge o mais alto grau, excelente no seu gênero, excelso, notável, magnífico, supremo. Que tem saber e presença absolutos e, em consequência, conduz, protege, rege, domina..." Houaiss

Estou aqui sem qualquer pretensão de convencer qualquer pessoa de qualquer coisa. Como eu disse lá no meu Orkut é um Blog sem pretensões. Aqui você encontrará apenas impressões e expressões de uma pessoinha que não passa de um ser humano que vive sua existência neste mundo com alegria, porém, prestando a devida atenção a tudo o que acontece.
E vivo com a ciência de que o Tapeceiro sabe o que faz. E mais, sabe mesmo o fim desde o começo!!!
O Salmo de que mais gosto na Bíblia é o 139. Nele é descrita a Soberania de Deus de forma extremamente poética e verdadeira para mim. O versículo 16 diz:
"Tu me vistes a substância ainda informe, e no teu Livro foram escritos todos os meus dias, CADA UM DELES ESCRITO E DETERMINADO quando nenhum deles havia ainda."
Não sei quanto a você que lê este texto, mas isto me causa conforto sem igual. Quando descobri isto, tive paz verdadeira. A paz que "excede todo entendimento", mesmo quando em meio ao desespero e às dores eu tenho paz, porque sei que o Tapeceiro tem o controle total de sua obra de arte.
E o artista é o soberano de sua obra. E Deus é Soberano no Universo.
Isto implica dizer que, muitos que dizem crer que Ele é Soberano, na verdade, não crêem que Ele o é, de fato...
Sei que este é um assunto delicado, porque, alguns, inclusive, devem pensar agora com seus botões: "Mas isto é absurdo! Isto quer dizer então que Deus nos faz de fantoches?"
Então... O que eu posso dizer disto? Quanto a mim, que isto é problema do Mestre Artesão...
Não me preocuparei em pensar o que Escritor do Livro, o Tapeceiro, o Artesão, o Artífice, o Ourives, o Oleiro, aquele que É desde a eternidade pretérita, presente e futura, está fazendo de mim...
Não é bem assim, é verdade, que eu não me preocupe... Hehehehehe!!!
Claro que fico a me perguntar, muitas vezes, se Ele sabe o que está fazendo...
Mas, não me envergonho diante dEle porque sei, mesmo assim, que Ele fará o que lhe apraz... Pois, por um acaso a matéria-prima pode dizer ao artista o que ele lhe fará ser?
Por algum tempo sei que fui nas mãos dEle algo que não me agradou ser... E estou a esperar que meu tapete seja colorido de cores mais alegres e vivas, para fazer contraste no meio das cores nubladas e tristes...
Estou olhando do avesso, e eu nem imagino o desfecho... Esperando por aquilo que coopera para o meu bem!!!
Toda Honra e Glória ao Artesão-Tapeceiro-Oleiro-Ourives-Escritor de tudo quanto o que há!!!
E que minha vida dignifique o Mestre dos mestres, porque Ele sim é Digno... E Soberano!!!
Abraços a todos, com o desejo de um excelente dia!!!


terça-feira, 26 de maio de 2009

Maria da Saudade...




Maria da Saudade...
SAUDADE: Sentimento mais ou menos melancólico de incompletude, ligado pela memória a situações de privação da presença de alguém ou de algo, de afastamento de um lugar ou de uma coisa, ou à ausência de certas experiências e determinados prazeres já vividos e considerados pela pessoa em causa como um bem desejável... Dicionário Houaiss.
Incompletude... Este é o sentimento que tenho agora no meu coração. Quem nunca se sentiu assim, que atire a primeira pedra...
Tenho achado que meu nome deveria ser Maria da Saudade!!! Hoje, especialmente, sinto-me mais incompleta do que nunca!!!
Saudade... Estou afastada de muito do que amo na vida... Distante daquilo que sonho. Então, a saudade pode ser também daquilo que não existe ainda?
Será que posso dizer da saudade: Hoje estou me sentindo incompleta???
Acredito que achei a minha metade... Aquela mesma que todo mundo vive a procurar... Mas, eu a perdi novamente... Perdi, não porque não sei bem onde ela está... Mas, é que a minha metade insiste que não cabe em mim!!! Então, de fato, quando isto acontece, achamo-nos incompletos...
E estamos, mesmo!!! O bom da vida é não ter vergonha do que se sente...
Edith Piaf chegou à mais bela conclusão da vida: Que amar é que vale a pena. Mas, a pena por amar é sentir saudade... Sentir-se incompleto, sentir que lhe falta o ar, sentir que seu coração já não é mais suficiente para caber aquilo que você sente... Daí é preciso compartilhar com alguém o coração... E, quando este alguém não está, daí podemos saber o real sentido do que é saudade...
Palavra maravilhosa!!! Dizem que ela é única no mundo. Não existe em outros idiomas uma palavra que designe tal sentimento. Que em qualquer lugar do mundo todos sabem que existe.
Existem termos equivalentes... Mas nenhuma PALAVRA, esta forma arbitrária de designar algo ou alguém, que denomine um sentimento específico.
Daí veio a Última Flor do Lácio e fez este enooooorme favor para nós outros lusofalantes.
Quem, mais do que a Maria da Saudade, poderia amar mais tal palavra?
Sou mesmo assim... E estou deste jeito: INCOMPLETA!!!