domingo, 9 de agosto de 2009

Pérola


Amo pérolas. Amo. Estou sempre usando. Não passo uma semana sem minhas bolinhas off white.
Gosto delas na mesma proporção de que gosto de rosas vermelhas e brancas, e de ouro..."Amo muito tudo isso"!
Pérolas são lindas, são singelas, chiques... Deixam qualquer mulher elegantérrima... Mesmo numa toada meio rock and roll, ela vai bem, se a criatura souber usar. Elas transformam um jeans com camiseta branca e sapatilhas num acontecimento... Tudo isto junto no mesmo lugar e agora, arrematado por um belo par de óculos bem grandes são a minha cara!!!
Bom, as pérolas são formadas por seres tão misteriosos quanto estranhos: As ostras.
E, dependendo de diversos fatores, elas são mais ou menos valiosas, uma vez que podem ser muito difíceis de ser encontradas e dada a profundidade em que se encontram, as cores que se deseja, as espécies do molusco, etc.
As belas bolinhas, na verdade, são defesas das ostras! O tempo todo elas sugam a água do mar e a "filtram", alimentando-se de partículas chamadas plânctons, e jogam fora a água totalmente limpa. Só que algumas vezes, nesse processo de alimentação, elas "engolem" grãos de areia.
Basta um grãozinho só, e começa a bela transformação. Durante bastante tempo - impreciso - elas ficam ali, coitadinhas, tentando se livrar do grãozinho, e ficam liberando substâncias que vão revestindo aquela minúscula partícula. Ano após ano, aquele serzinho tão esquecido no oceano prepara com todo o sacrifício do incômodo de ser invadida, uma pérola.
Pérolas são tão valiosas e únicas que chamamos coisas e palavras inusitadas de... Pérolas!
Bom, Gabrielle Chanel - minha xará mais famosa - amava pérolas também.
De origem humilde, ela sabia que a elegância está nas pequenas coisas. Talvez por isto é que ela valorizava tanto a singeleza. E as pérolas são seu maior símbolo.
Como algo tão simples em sua forma, em sua cor pode ser tão valioso?
Explico: É por causa do sacrifício das ostras.
Há um tempinho eu escrevi um texto contrapondo a razão e o coração. E disse que "o coração não conhece o sacrifício das ostras, mas orna-se de todas as suas pérolas".
E é assim mesmo. Minha razão agora lembra do trabalho delas, mas a minha vontade de me sentir bela me faz esquecer do incômodo do grão de areia. Porque as ostras moram lá no fundo do mar.
Assim, eu penso que é minha vida. Nossas vidas de mulher, de seres humanos.
Nossas almas são ostras esquecidas, muitas vezes. Que volta e meia engolem um acontecimento qualquer que nos faz desejar que aquilo vá embora, passe logo...
Daí, depois de um tempo, lembramo-nos daquilo novamente. E, de repente, vemos algo tão bonito brotar: Lembranças, amor, perdão...
Há os que, lógico, simplesmente não fazem coisa alguma. Não são produtoras de pérolas. São ostras qualquer que darão, no máximo, madrepérolas que se transformarão em botões...
Por isso é que recebo tudo com a certeza de que serei um pouquinho mais sábia a cada dia que passa.
Não quero fugir de nada. Ainda que doa, ainda que a saudade invada a minha alma, ainda que reclame, ainda que pareça ser pior do que é. Eu vou é viver... Quero dar pérolas, não quero ser botão...

Boa semana a todos!!!

18 comentários:

Katinha disse...

Lindas palavras... sem a tal areia não teriam pérolas, e sem os obstáculos talvez não houvesse crescimento e superação! Algo me ocorreu neste momento e corri para cá pq sabia que aqui encontraria palavras sábias e que cairiam como luva: achei. Li o que falou sobre meu comemtário na postagem anterior e concordo com você, mais uma vez. Mas neste momento estou querendo entender um tal gostar que tenhu "recebido" até hoje... tentei mais uma vez, e mais uma vez ELE não era a pessoa certa. Não intendo este gostar q omite tantas coisas, e tais pessoas que parecem ser colecionadores de corações e oferecem este "gostar" para mais de uma mulher ao mesmo tempo... Mas não desisti e desta vez me nego a ficar mal e continuarei a levar este sorriso que carrego estampado no rosto haja o que houver. Bjus linda e que sua semana seja abençoada.

Gabrielle Avelar disse...

Linda Katinha...
Fofa linda do meu coração... É assim, ó: A gente não conhece se não tentar conhecer...
Areia... É, ela é incômoda mesmo. Mas está lá e existe.
E, um conselho: Não resista a ficar mal... Fique, sim! Você tem este direito!!! O que você sente é seu e de mais ninguém.
Se agora você tem vontade de sorrir, então, sorria. Se hora dessas tiver vontade de chorar e de se enfiar debaixo de uma coberta, num quarto todo escuro, vamos lá! Porque a vida está aí para ser vivida, e não para ser fingida por não querermos causar desconforto às demais pessoas.
Ser forte não é se mostrar bem o tempo todo. Ser forte é, algumas vezes, desabar para reconstruir tudo novamente... É difícil? É. Muito. Mas vale a pena.
É que às vezes as bases são de barro, quando, na verdade, devem ser de pedra.
Beijo enorme e uma excelente semana!!!

Katinha disse...

Neste momento não tenho mais a dizer, só tenhu a agradecer pelas palavras, pelos conselhos, pela atenção, pelo carinho. Bjus linda.

Adri Polo disse...

gabrielle,conheci seu blog atraves da Elisa do Vou mais leve.Adorei! Passe para conhecer meu blog.Um beijoooo.Foi ótimo ter lido esse seu post.Demais!

Anônimo disse...

Bom, Gabrielle, não preciso nem dizer porque também gosto de pérolas, assim como também sou apaixonado por ouro, pedras preciosas e semi-preciosas... Excelentes as observações e analogia com a vida retiradas de uma 'simples' ostra. Realmente, as coisas mais belas da vida são o resultado de duras transformações e de sacrifícios. E as pessoas sábias estão sempre aprendendo com as lições de todas as formas de vida... Beijos! Paulo

Anônimo disse...

"Daí, depois de um tempo, lembramo-nos daquilo novamente. E, de repente, vemos algo tão bonito brotar: Lembranças, amor, perdão..."
Querida, ou Amada, como você prefere, não volte atrás na sua alegria. Ficar triste é normal, eu sei!! Mas ficar alimentando não é saudável. Essa história já acabou e faz tempo.

Gabrielle Avelar disse...

E nós outros aqui outra vez...
Fofo(a), Amado(a), Amigo(a) Íntimo(a)- Hehehehehe!!!
Acabou... Fazer o que, né???
Viver. Como faço todos os dias. Se fosse fácil como falar...
Alimentar? Quem disse??????
Mal sabe que minha vida tem continuado. Mesmo. Mas, o fato de relembrar não quer dizer que se alimenta a tristeza. Significa apenas... Lembrar, oras!
E delas - as lembranças - eu colho o amor e o perdão. Nunca amarguras. Não gosto delas. Não gosto do sabor amargo que tem a raiva.
Gosto mesmo é de rir. E tenho feito isso bastante. Garanto!!!
Mas, não posso, ainda que seja bacana, dar gargalhadas o tempo todo que Deus me dá...
Mesmo porque, eu também sofro de TPM, sabia? Não tinha, não, mas agora eu tenho... Putz... E vou dizer, viu? Está cada vez mais chato... Mas, logo eu cuido disto, vai ver só!
Eu quero por tudo no mundo, só uma coisa: Viver com sabedoria e continuar feliz, colhendo estrelas mesmo quando o céu estiver nublado...
Beijão... Não se preocupe, Amado ou Amada...
Estou vivendo deveras!!! Feliz e contente como se deve ser... Dia-a-dia... Mas, entre um dia e outro, há uma noite no meio, não é?

Anônimo disse...

Pois é, é isso que me preocupa, Amada, você vive, mas não esquece o dito cujo. Quer dizer... não é para esquecer mas é pra deixar de sentir esse amor que você diz sentir. Só quando se libertar desse sentimento deixará de esperá-lo. Não espere mais o dito cujo, Amada, enquanto você não se livrar dessas lembranças, você não terá a libertação. Você não admite, leonina que é, teimosa que só. Mas tudo vem no tempo certo, eu sei.

Adri Polo disse...

Gabi,linda...Obrigada pelo carinho em meu blog.Estarei sempre aqui.Beijocas

Gabrielle Avelar disse...

Hehehehe... Já estava sentindo a sua falta, sabia?????
Olha só... É... Eu sei que é um fraco dos leoninos ser teimoso... E, sim, também sei que enquanto eu não me libertar desse sentimento, outro não terá vez na minha vida. Corrigindo você: Eu não DIGO SENTIR. Eu sinto! Não sei fingir, não sei mentir...
Mesmo que eu tente, eu não consigo. De tão transparente que sou, parece haver um letreiro luminoso em minha testa me dizendo o que sinto.
Mas, sabe? Para o "dito cujo" ter vez outro também teve de sair da minha vida. E foi difícil. Não por teimosia. Mas é que não gosto de ser usada como "tábua de salvação" até que passe um barco - mesmo furado- qualquer. Então, não faço isso com ninguém até que esteja me sentindo segura o bastante. Não acho justo que uma outra pessoa seja responsável por me fazer esquecer... Mas, isso passa.Como você mesmo(a) diz, no tempo certo.
Deixe esse Bofe para lá.
O que interessa aqui sou eu, não acha?
Sei que parece ser pretencioso, orgulhoso e metido... Mas, é assim que ando: Pensando só em mim.
Porque quero! Quero alguém que ache que não há circunstância no mundo mais importante do que viver o amor que sente por mim, do que estar comigo, só porque me ama.
Assim como eu acho que não há no mundo pessoa mais importante do que a que eu amo.
Desejo, do fundo do meu coração, que ele seja muito feliz.
Mesmo que longe de mim. E isso eu disse a ele várias e várias vezes.
O amor que sinto o deixa livre, ainda que me deixe presa. É para mim, porém, uma prisão que me liberta, porque eu sei que é melhor assim do que viver uma vida medíocre, infeliz só por ter uma pessoa por perto por achar que ela é uma espécie de propriedade. Pessoas não são coisas que possamos manter sob nossa guarda a qualquer custo.
E eu não acho que ele é minha propriedade. Ele é uma pessoa, merece meu respeito, meu carinho e tenho toda a consideração por ele.
Agora, se ele não tem, o que posso fazer? Cada um é responsável por si mesmo.
Eu, de minha por minha própria sorte, tenho vivido minha vidinha, me divertindo, saindo, curtindo o que eu mais gosto, estando com pessoas que só me fazem muito bem.
E recebendo tudo com grande alegria, sabendo que, em tudo, eu posso obter sabedoria.
Lamento muito que haja no mundo gente que pensa que pode prender alguém... Por qualquer razão que seja. Para mim isto é o supra-sumo da baixa auto-estima em pó!
Eu penso que, no dia em que eu pensar que só serei feliz tendo outro alguém do meu lado, eu preciso de tratamento.
Eu fico tão alegre com pequeninas coisas... Você nem imagina!!!
Como meu coração é grato por momentos tão pequeninos...
E estou eu aqui agora, nesse instante, alegre demais porque acabo de voltar de poucas e agradabilíssimas horas que passei com meu primo amado... Bebi umas tacinhas de vinho... Estou meio anestesiada, e vou agorinha dormir... Porque ri bastante, e desfrutei do fruto do meu trabalho com alguém que me é muitíssimo caro.
Assim, leonina que sou, fui desfilar minha pretensa beleza por aí... Hehehehehe!!! E lá vou eu amanhã para meu trabalho, feliz, contente e grata porque terei mais um dia de vida pela frente...
Beijooooooo!!!
Ei! Some, não, viu?

Anônimo disse...

Que bom Amada, fico contente por você.Fico também feliz por saber que você deseja o bem dele. Se fosse diferente estaria presa em planinhos e estratégias para se vingar e chamar sua atenção. Assim é mais elegante. Tramar para ter de volta não parece fazer o seu tipo. Que bom, assim não gasta energia com a raiva. Fico mesmo contente. Suas palavras estão ficando cada vez mais leves. Muito bom. Ah, não vou sumir não!

Gabrielle Avelar disse...

Hummmm... De fato, tramas e artimanhas não fazem meu tipo MEEEEEEEEEEEEIXMO!!!
Não acho que precise desses estratagemas para conseguir o que eu quero. Eu estava, aliás, bem quietinha aqui no meu cantinho. Não procurei seu ninguém... Não sou de ir à caça.
Sabe, acho que a melhor "vingança" é ser feliz. Você não acha que é um bom projeto de vida esse?
E quero que o Bofe seja mooooooito feliz. De verdade...
E que saiba fazer outro alguém feliz.
Beijão!!!

Anônimo disse...

"Eu estava, aliás, bem quietinha..." Como assim, não está mais. Não te entendi bem.

Gabrielle Avelar disse...

Hummmmm... Será que não entendeu mesmo???
Palavras são apenas palavras e têm seu significado pleno...
Mas, o que eu acredito que não está bem entendido é o motivo pelo qual eu realmente escrevo e me dou ao trabalho de responder... É porque eu preciso dizer algo!!! Gritar!!! De dor, de alegria, seja lá o que for.
Bom... Continuo quietinha, se é o que quer saber. Mas, vivendo. Não procurando, não caçando. Não sei ser assim. Não sei ficar à procura de olhares interessantes por aí, como se pudesse achar em algum rosto desconhecido o meu príncipe encantado. Mesmo porque ele não existe.
Eu sou por alguém real. De carne e osso... Com cheiro, com voz...
E sou por amar a sua realidade.Tal qual ela é. Posso dizer com todas as letras: "I love you just the way you are."
E vou vivendo... Todos os dias descobrindo coisas novas, descobrindo detalhes hoje que ontem eu não percebi.
Queria que pudessem ver o mundo com os meus olhos e com o meu coração... Ah! Como eu queria!!!
Affffffff!!! Que discurso mais tolo, não acha????
Bom... Você, acho, agora deve haver entendido o que quis dizer com "eu estava, aliás, bem quietinha".
Continuo. Só que agora eu não sou cega, surda e muda. Quando a oportunidade de ser feliz aparecer na minha frente novamente eu a agarrarei com todas as forças do meu viver. E tomara que esta oportunidade me mereça dessa vez. Porque, eu garanto, EU VOU VIVER. Estou vivendo!!! No melhor emprego do gerúndio que a Língua Portuguesa já presenciou.

Anônimo disse...

Entendi... por um momento me ocorreu que vc havia procurado o "bofe"!! rsrsrs... Que bom que está bem feliz. Beijos e bom dia!

Gabrielle Avelar disse...

...Mas, porém, contudo, todavia, entretanto... Sou livre... Não faço e não fiz pela pura e simples consideração com quem nem merece... E não porque não tenha vontade. E muita.
Sinto uma saudade estarrecedora... Só eu sei o que estou passando.
De qualquer sorte, eu acho que não preciso... É uma questão de princípios nos quais, certa vez há um bom tempo atrás, eu pisei e doeu mais do que as consequências do que fiz. Magoei quem não devia, envolvi - sem querer - pessoas que nada tinha a ver com a minha vida e minhas escolhas, e perdi absolutamente tudo o que um dia PENSEI ter. Tudo bem que, nesse caso, não perdi coisa alguma.
Por isso, eu não faço mais. Ainda que isso doa mais do que a dor que senti com o erro. Porque, dor por dor, cada uma delas acaba sendo pior do que a última.
Nessa história toda, ninguém tem pensado em mim. Mas eu penso, e é isto o que importa.
Tenho sofrido com criancices alheias, mas não me importo. Sei que o sorriso após o choro é mais bonito, mais gostoso e muuuuuuuuuito mais sincero.
É que eu não consigo me acostumar com determinadas atitudes, mas tudo bem. Ainda vou falar mais sobre isto.

Anônimo disse...

Acho que sua atitude é a mais sensata. Depois me fale das "atitudes alheias". Ah, eu adoro essa palavra, não sei porque.
Beijo

Gabrielle Avelar disse...

Ah... Eu só não quero falar das "atitudes alheias" agora. Estou tentanto esquecer... Disto eu estou fugindo porque estou atrás de paz... E, até agora, eu tenho conseguido, sabe.
Confesso: É fuga mesmo!!! Hehehehe!!!
Só que eu sei que acabarei falando... Eita confusão enoooorme!!! Hehehehehe!!!
E, enquanto eu puder ficar só de longe espiando, eu fico.
Deixo que façam e tento agir da melhor maneira possível: Com elegância, sempre.
Aqui ou ali dou minhas alfinetadinhas para ver se a(s) criatura(s) se tocam, né?
Mas, se não, o que tenho a dizer é: Só lamento!!!
Lamento porque eu aprendo e adquiro cada vez mais sabedoria, enquanto a(s) criatura(s)... Pfffff... Dá(ão) Dízima Periódica!!! Eu hein...
Beijo!!!