quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Rosas


Rosa, Rosae, Rosarum...
Acho que foi esta a minha primeira lição de Latim na faculdade... Lá pelos idos de 1998... Onze anos já... Tempus Fugit...
Já falei aqui de algumas das coisas que mais me apaixonam na vida... O ouro, as pérolas...

Hoje estou com vontade de falar de rosas...
Amoooooooo!!! Como são lindas, delicadas, perfeitas. Sua textura tão perfeita, as cores maravilhosas. Sem dúvida alguma eu sou apaixonada por rosas. São minhas flores favoritas.
Há quem ame as mais raras. Tulipas, orquídeas... Eu gosto mesmo é das indefectíveis rosas.
Tenho por hábito sempre ter, ao menos uma, no meu quarto. Elas me alegram, me dão uma sensação de que estou no meu cantinho. Sim, porque os meus cantinhos - os meus - sempre têm rosas... Nem que eu as compre na rodoviária. Faço, muitas vezes um esforço enorme para tê-las por perto.
Então, sempre que você entrar em algum lugar em que eu esteja e houver rosas, tenha certeza absoluta de que considero esse lugar a minha casa.
Seus cheiros são tão agradáveis que meus perfumes favoritos sempre tem notas de rosas.
E, outro dia, eu me lembrava do Le Petit Prince... O livro mais lindo que já li em toda a minha vida. Já li inúmeras vezes. E fico surpresa todas as vezes que leio. A tão aclamada Raposa, a meu ver, é menos importante que a Rosa do Pequeno monarca. Sua alteza a possuía como uma jóia preciosa. Ele a protegia, regava e satisfazia todos os seus caprichos, até que um dia ele se cansou, porque não entendia o motivo de ela nunca estar satisfeita.
E, por amor a ela, ele partiu, a fim de buscar respostas para as perguntas que tanto lhe angustiavam. Ele tinha aparência jovem. Mas sua alma era velha... Porque sua Rosa o consumia... Ele não conhecia outros homens... E não conhecia outras rosas. E, o mais interessante, é que ele não se mostrou surpreso quando encontrou outros de sua própria espécie, a despeito de não conhecer seus semelhantes.
Todavia, ele se entristeceu porque encontrou milhares de outras rosas em sua visita à Terra... E ficou magoado com sua Amada...
Até que apareceu a Raposa. E lhe ensinou que ela era, sim, única no Universo. E que amamos as pessoas, mas elas podem partir, e que isto faz parte da vida... Nem por isto somos menos cativos... E somos livres, ao mesmo tempo.
Aquela linda Rosa era mesmo única... Porque era simplesmente ela!!! E, mais do que ser simplesmente ela, era amada... No coração de Sua Alteza, ela era a rainha do Universo inteiro!!! E ele chorou quando viu as demais rosas porque, como dizia a Raposa, "corre-se o risco de chorar quando se deixa cativar". E ele era cativo dela. E ele não entendeu a lição da Rosa, afinal... E foi embora, mesmo assim: "É preciso suportar duas ou três lagartas, se quiser conhecer as borboletas." E ela suportou a falta que seu dono fazia só porque sabia - tinha certeza - de que ele voltaria para compreendê-la! Não é uma linda história??? Mais linda do que a história da amizade dele com a Raposa, ou com o Aviador... Porque ele enfrentou até a morte para ir ter com sua Rosa tão amada...
Hum... Que digressão mais romântica essa!!!
Bom, mas agora eu não estou muito a fim de falar deste caso de amor... Lindo, é verdade. Mas, eu quero mesmo é louvar as divinas qualidades da minha flor predileta, tão elegante e singelamente chiquérrima!!! Como meu ouro, como minhas pérolas, como batom vermelho nas horas certas, camisa branca - sempre - um sorriso verdadeiro no rosto, silêncio quase sempre, gentileza para toda a vida... Elegância...

Elegância, aliás, será tema de um próximo texto.
E vivam as rosas!!! E que minha vida seja repleta de milhares delas... Porque, gente, morta, eu não quero, não!!!
Vida! Vida sempre!!!

7 comentários:

Adri Polo disse...

Gabi,que lindo! Minhas flores prediletas tb são rosas! Nunca as deixo faltar em casa.Tenho de várias cores,mas a que amo mais são as brancas que me ensinam calma e paz... Um dia,quando vier ao Rio não deixe de conhecer o rosário do Jardim Botânico.Deu saudades de lá...Já não vou há tempos.E quando eu for,vou fotografa-lo para que veja que lindo! Beijocas

KatInha disse...

Oie Linda! Prometi estar sempre aqui e estou! Acredita que até hoje não li este tal livro?! Rss... Mas agora ele ja esta aqui em casa e creio q desta vez o lerei! Muito ja ouvi falar dele, mas não recordo de ter visto alguém falar como você, e neste momento minha curiosidade aumentou, afinal historinhas e estorinhas romanticas são bem a minha praia. Das rosas, são mesmo muito belas mas talvez por mami não ter simpatia com elas faço parte do publico que as admira apenas de longe, nos jardins pela cidade. Bjus Linda e que Deus esteja cuidandu de você.

Anônimo disse...

Esqueci de dizer que adoro pérolas. Rosas nem tanto, na verdade só as brancas. E vermelhas são boas de receber. E camisa branca é tudo de bom!

Gabrielle Avelar disse...

Hummm... Adri, estou esperando pelas fotos.
Na última vez em que estive no Rio eu fui ao Jardim Botânico... Há uma foto aqui no Blog que foi tirada lá. A da janela. Visitei o rosário... Fiquei apaixonada, nem preciso dizer. Mas, esperarei por sua foto lá, viu? Quero que você volte lá e, quando estiver por lá, lembre-se de mim e do fato de que, da última vez em que estive por lá, estava apaixonada, amando, e muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito feliz!
Katinha linda... Não importa quais as flores de que gosta mais. Importa amar a beleza. E não a beleza que é óbvia!
Quanto ao livro, eu tenho certeza de que irá amar. Depois nos falaremos e eu lhe direi a respeito da minha "teoria" maluca a respeito do que aconteceu com o Príncipe e com a Rosa.
Caríssimo(a), as rosas brancas também são minhas prediletas. Na verdade são elas que sempre habitam meu cantinho. Claro que, as vermelhas têm "aquele" significado, mas as brancas, de fato, tem aquela sutileza que amo.
Beijos a vocês três!!!

Elisa A. disse...

Ei querida. Saudadessssssssssssssssss, muitas saudades.
Meu note estava com vírus. Agora, sarou...rs.
Vou voltar ainda hoje com mais calma para ler tudinho, viu?
Beijos no core,
Ai, que saudade !!!

Gabrielle Avelar disse...

Gente, Elisa, querida... Já estava com urticária por sua falta!!! Hehehehehe!!!
Beijo!!!

Katinha disse...

Bebelle, ainda estou inserida na onda do momento, CREPUSCULO! Rss... Mas assim que terminar irei ler o livro e adorarei conversar sobre sua tal teoria. Gosto do jeito que você interpreta as coisas, de uma pespectiva que creio que poucos conseguem enxergar. Bjus Mil.