sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Comentário ao Comentário




"Se
rá que depois dessa paz não surge um NOVO AMOR... Acho que sim!
Não sei se é impressão mas de uma semana para cá o seu tom mudou. Parece que a melancolia deu lugar a mais alegria. Isso aí!!! Esquece esse homem menina!"

Anônimo(a), 07 de agosto de 2009.

Bom... Este foi um comentário ao texto anterior... Fiquei aqui pensando sobre ele... Como sempre faço com tudo, aliás... Sou um poço de pensamento que se transforma em verbo... Digamos assim que meus pensamentos são buracos negros que habitam meu Universo...

Todo mundo sabe que penso demais da conta! E boa parte das pessoas também sabem que os buracos negros são elementos que, de tão poderosos, atraem todo o tipo de matéria- e imatéria - para seu centro, inclusive a luz. Não se sabe ao certo o que existe em seu interior. E, numa viagem muito louca, poderíamos pensar que eles sugam Universos para dentro de um Universo só deles.

Assim são meus pensamentos... Universos que sugam outros Universos para dentro de si, e lá formam-se novos Universos de palavras, ações, sentimentos...

E fiquei pensando o que de tão diferente aconteceu comigo para que recebesse tal comentário...

É... Estou alegre, sim... Mas, nunca deixei de ser feliz... Eu SOU feliz. Mesmo. E preciso, como pessoa feliz que sou, ficar triste de vez em quando.

Não se trata de esquecer um homem ou não. Trata-se de lembrar de mim mesma, e isto será motivo para um texto posterior, dedicadíssimo a Camões, para variar... Um NOVO AMOR? Quem sabe não vem de bônus nesta nova empreitada que é cada dia que acontece. Não estou procurando, não. Da mesma forma em que não estava antes do meu Amado... Não! Não estava, não!

Muito pelo contrário!!! Eu havia decidido que iria embora daqui, inclusive. Eu havia limpado meu coraçãozinho, havia feito uma faxina daquelas. E ia fechar o salão e ia picar a mula para o mundo do conhecimento. Já estava vendo, secretamente, a possibilidade de ir estudar fora, com a razão esperançosa, cheia de pique para mergulhar no maravilhoso mundo da História da Arte lá na Espanha... E, de coração limpo, um Raio de Sol entrou pela Janela... E deu uma festa de cores prismadas de cristais em mim...

Pode até ser que não conseguisse ir embora. Mas, de qualquer forma, era o que eu almejava à época. Aí, aconteceu o que eu não esperava. E eu estava também decidida que tudo seria muito diferente. Que eu não me entregaria tanto. Mas, eu sou lá mulher de fazer algo pela metade? De ter algo incompleto?

Minha cabeça não consegue conceber certas coisas. Tipo: Você tem de ser menos apaixonado que seu parceiro, mulher - ou homem, já ouvi as duas versões - tem de ser um pouco perversa, homem não gosta de mulher boazinha, etc...

E eu não concordo. Não! Mil vezes, não!!! Fala sério!!! Que bagunça, que maluquice é essa, minha gente??? Eu hein!!!

Se eu vou eu vou mesmo. Para quebrar a cara, se for preciso. Para me arrebentar nas pedras do precipício, ou para voar. Eu quero é ir!!! E eu vou!!! E eu fui. Estou certa de que dei o que pude dar de melhor. Nada mais, nada menos. O que eu podia: Fui amante, parceira, cuidei, briguei... E ainda ouvi gente me dizendo que parecia mãe do bofe... Vê se pode? Pode não!!! Só fui o que acho que uma mulher de verdade pode e deve ser. Ou o que eu posso e devo ser. Não sei ser diferente do que sou.

Cuido mesmo!!! Sou bem mulherzinha... Gosto do meu homem cheiroso, limpo, bem alimentado, delicado comigo... De fazer e satisfazer as vontades dele. Gosto de mimar, de afagar... Gosto!!! E muito!!! E se eu mudar eu deixo de ser eu mesma...

Se um dia eu tiver filhos, eu agirei como mãe deles: Vou mandar para ser obedecida, dar carinho, alimento, cuidarei meio que desesperada, colocarei de castigo, vou ajudar a fazer dever de casa, vou me descabelar de cansada por passar noites sem dormir, vou ficar envergonhada por causa dos escândalos públicos, e quando chegar em casa, aiai; Levarei passear, buscarei na escola, na casa do amiguinho, na aula de Inglês, de piano, no Ballet, no Judô, seiláoquemais, vou comprar roupas, lavar roupinhas, brigar porque ficaram sujas e agradecer a Deus dia-a-dia pelas crianças saudáveis que tenho... Eu sei que sei ser mãe também. E sei ser mulher, e sei ser esposa. Tudo em seu devido lugar. Agora, se há quem não saiba o que é uma mulher de verdade, aí, são outros quinhentos... Estou convencida - em todos os sentidos da palavra - de que sou MULHER!!!

E, sabem, eu, inclusive me desabrochava para preparar alguém, enfim, mas...

Acho, querido(a) que foi isto o que mudou em mim. Esta mulher que dormia resolveu, de repente, acordar e trazer junto consigo uma menina que estava com ela o tempo todo chamando-a para viver.

Talvez o amor que dei não tenha sido merecido. Mas, quem foi que disse que era para merecer? Eu, tampouco, mereço!!! Há o meu lado perverso, também. Sentimentos e pensamentos dos quais eu, definitivamente, não me orgulho. Mas, eles moram em mim. Assim como a mãe, a safadinha, a esposa, a amiga, a companheira... Todas estão aqui, ó, dentro de moi!!! E, non, je ne regrette rien... Rien de rien!

Ama-se, e pronto. Não é pelo que se faz, pelo que se fala... Ama-se pelo que se é! E eu não fui amada pelo que sou. Senão, qualquer coisa seria pouco para ficar comigo. Assim como eu achava que ficar perto dele não havia preço. Nem desafio difícil bastante para ser vencido. Ou vida, ou morte... Eu tomaria sua mão e iria com ele até onde fosse necessário ir. Eu não fui tida assim. E eu vou fazer o que? Lamentei... Mas, je ne regrette rien, agora. Não adianta. A vida segue seu curso.

E sabe do que mais??? Amo mesmooooooooo!!! E o amor é o que me mantém de pé!!! Viva. E a falta dele também é que me dá aquela raivazinha que faz com que eu me mova!!! Lembra??? "Move on!"

Quem foi mesmo que achou que eu estava parada???? Chorar, entristecer-se é bom para lavar a alma... E agora é um tempo bom de sorrir, até que chegue o dia de chorar novamente...

Ei, sabem de uma? Eu descobri que, além das ruguinhas ao redor dos olhos quando sorrio, também enrugo o nariz!!! Hehehehe!!! E me lembrei da música do Tony Bennett, "The Way You Look Tonight"... Amoooooooo!!!

Será que há quem goste dos "wrinkles in my noose"???? Hehehehe!!! Mas, não vale gostar só agora! Tem de ser para a vida inteirinha... E ainda me falar, lembrando de Sarah Vaughan: I Live to Love You! Ah!!! Dedicar-me todas as músicas de que gosto seria muito bom... Ray Charles - I Can't stop love You... Johnny Mathis, Nat King Cole, etc, etc, etc...

Amar justamente como é, e viver para amar nosso Amor...Putz, vou ter de dizer: Da mesma forma como amo... Ah!!! Esquece, vai...

Obrigada aí, viu??? Quem quer que seja... E vamos que vamos! A vida continua. Mesmo... E não pense que não para mim só porque as coisas não são bem do jeito como você faria. Caminhe entre minhas estrelas neste Universo... Quero ver se você vai achar a sua perdida dentro de mim...

Beijo enorme!!!


5 comentários:

KatINha disse...

Como ja disse, me encontro em suas palavras, e parece que meus sentimentos vão se tornando mais claros! Também não sei me dar pelas metades, chego, mergulho de cabeça, ja ouvi que devo amar menos e que homem gosta de mulher mslvadinha. Num determinado momento cheguei a pensar isso, mas me nego a reter esta informação e como vc disse :"E se eu mudar eu deixo de ser eu mesma..." , intão também vou seguindo e certa de que na hora certinha me será dado o presente de ter alguém para dividir cada instanti da minha vida. Bjus No seu coração...

Gabrielle Avelar disse...

Katinha... Para você, assim como para mim, eu dedico um dos de Mário Quintana:
"Quantas vezes, à procura da ventura, agimos tal qual o velhinho infeliz, que por toda a parte os óculos procura, tendo-os na ponta do nariz"!
Querer fazer alguém feliz deve ser o mote de qualquer início de relação. Porém, isto deve ter seu "start" antes, muito antes de a vida a DOIS começar: Começa em nosso caminho solitário. E para "amar o outro como a nós mesmos", primeiro temos de nos amar. E sermos felizes mesmo sem outro alguém. Assim, quando o amor chegar - e vai chegar - estaremos preparadas para os desafios que virão.
Beijo e muuuuuuuuuuuito obrigada pelo seu carinho de sempre e pelas visitas!!! Muito bem-vinda!!!
Desejo uma bela jornada pelas estrelas... Tomara que encontre a sua no meio dessa confusão que é meu Universo!!!

Jeane Barreto disse...

Oi,passei aqui de curiosa que sou mas como um daqueles acasos que não existem,agora li palavras lindas e lendo um pouco de você achei um tantão de mim.
Vivo um amor e sofro muito porque não sei medir porção disso ou daquilo,amo por completo,amo por inteira mas descobri nessa jornada linda que é a vida que o ser humano pouco conhece esse sentimento tão nobre por completo,porque é isso mesmo o amor é por si só completo,ele se basta! Sou mãe também,acho que já sabia,né? Também não consegui e não saberia ser pela metade,até escuto colegas me falrem-desgruda,deixa um pouco a família pra lá. Ah,onde fica esse lá? Sabe,a solidão é fato da natureza humana,sou super ocupada e se não vigiar não acho tempo pra mim e ainda assim sinto esse vento do norte que é a solidão ela sempre sopra,como brisa suave ou como furação,sempre está aqui juntinha a mim...depois de conhecê-la como extensão de mim parei de sofrer e aprendi a saborear o perfume suave que é eu mesma,daí em diante fui menos triste ou mais feliz.
Obrigada,pelo blog tão abençoador!

Gabrielle Avelar disse...

Mas que ilustre visita!!!
Amada prima linda,
Sim. Eu sei que já teve - tem - o privilégio de ser mãe... Ainda não tive tal alegria... E tenho esperanças de que terei... Ou não. Louvo a Deus porque faz tudo no tempo certo.
Quanto à pergunta ao seu post... Acho que você mesma respondeu.
Sabe "onde fica esse lá"?
Em você mesma!!!
Sim! Eu sou um Universo... Que, por sua vez passou por um Big-bang que deu origem ao esse Universo Verbal. O outro Universo tinha um sol. A super-nova deu, com o tempo, lugar a um gigante vermelho e entrou em colapso. Eu era só uma partícula. Era o lá...
Então, com aquela estrela se agigantando e me engolindo, eu tomei força para ser mais que ela e a aspirei para dentro de mim. E diminuí, diminuí, diminuí... Mas reduzi com tudo, tudo dentro de mim. Até que um dia eu explodi em uma profusão de sentimentos e paixões, ilusões, visões... Acordei e, quando dei por mim, já vivia em um outro mundo completamente diferente. Era MEU Universo!!!
Era o lá... Descobri onde ele ficava!
Agora que você também sabe disto, quero que aprenda outra lição:
Você É feliz. E a tristeza faz parte da felicidade!!!
Logo, logo você lerá algo a respeito disto com um pouquinho mais de profundidade...
Volte muito mais vezes!!!
Amo quando me visitam. E mais feliz ainda eu fico cada vez que sei que há alguém que entende como eu me sinto!!!
Beijo enoooooooooooorme em você, linda!!!

Saleh Khalil disse...

Conheci um pouco de vc e agora estou mais seu fan, para não dizer outra coisa, mas vou devagar e sempre