quinta-feira, 4 de junho de 2009

"Decifra-me, ou devoro-te!"


"Eu fico no aguardo
Da revelação dos enigmas
Enquanto a realidade escondia
Não me mostra o sol que lhe dá vida".
Jan Muá

Hoje encontro-me numa situação difícil... Quando a raiva toma conta de nós, por sabermos que há muitos enigmas a serem desvendados, é complicado manter um certo equilíbrio...
A raiva, digamos assim, pode ser comparada a uma espécie de morte que fica nos rondando à espera de matar algum sentimento que possuímos... Daí é preciso ficar atento...
Caso contrário se fará necessário que perdoemos e, então, teremos de "fazer o amor brotar novamente", como diria o meu querido Irmão Honório (in memoriam)...
Tenho medo de ter de perdoar... Porque não tenho perdão para dar... Não detenho o poder da vida!!! Não posso ressucitar alguém no meu coração... Não agora!!!
Só me resta pedir a Deus, em Cristo, que tudo já fez e a quem pertence o perdão, que me dê graça, misericórdia, fé e sabedoria...
Porque sou feita de amor, movida por amor... E não gostaria de sofrer a dor da morte para poder renascer...
Deixarei que o Sol tome conta da realidade para revelá-la... Estou aguardando por isto, ansiosamente...
Quem sabe eu não consiga ver uma "rosa fugidia" no raiar do sol? Quem sabe a vida não me sorria, agora de verdade? Quem sabe o amor não brote ainda mais belo?
Diz um ditado chinês: " A flor nascida na adversidade é sempre a mais bela"...

Bom dia...

Nenhum comentário: