sexta-feira, 31 de julho de 2009

Nota de Esclarecimento


A postagem anterior deu o que falar...
E eu gostaria de dizer algo a respeito, embora eu nem precisasse...
Mas, eu quero. E o que eu quero, aqui no meu Universo é o que vale. Por isto mesmo é meu!!! E ponto.
Aqui, eu sou o Sol! Sem pretender ser mais do que ninguém. Não se trata disto!
Bom, para explicar melhor, eu quero dizer do motivo de eu haver criado este Blog.
É que eu havia acabado de levar o famoso "pé na bunda" - Desculpem a expressão, mas é que não há melhor para dizer...
E eu estava me sentindo muito mal. O problema todo é que eu passei um ano muito difícil e, tombo atrás de tombo, eu quebrei e este Blog foi a maneira que eu encontrei para ver os caquinhos de forma mais panorâmica a fim de juntá-los todos.
Para mim, não importa o tempo. Quem está próximo a mim e sabe da história toda, sabe que foi curta a minha última história. Não importa isto para mim. Porque eu vivi. Eu senti. E só posso dizer daquilo que eu sinto. Não posso falar do outro... "Coração dos outros é terra em que ninguém anda", já dizia meu avozinho lindo...
Este Blog é meu grito. Meu desabafo. O que sinto está aqui. Para quem quiser ver. Para quem quiser comentar. Ele é como minha voz chegando sei lá onde... Porque eu não posso usar a garganta para ferir ouvidos com as garras do meu coração. Ele é uma fera enjaulada.
Embora eu não goste de postagens anônimas, eu respeito quem não deseja se mostrar. E permito que digam o que quiserem. Só modero com o intuito de evitar palavras impróprias e grosseiras. E só!!!
As palavras que aqui existem são aquecidas pelo que eu sinto!
E, sim! Eu sinto mesmo! Amo mesmo! Ainda que saiba que não há o que esperar, eu espero enquanto o meu coração quiser esperar! E vou seguindo adiante. Meus pés feridos e eu andando. E ando mesmo!!! Embora, muitas vezes, devagar quase parando!!!
Em alguns momentos um pouco triste, em outros alegre, porém, sempre caminhando.
E, se acham que sou romântica, que sou tola, que estou perdendo tempo, eu quero dizer: É minha vida!!! Minha existência, minha história, meus sentimentos... Não posso - e não vou - negá-los.
NÃO VOU!!!
E, doa a quem doer. Até em mim.
Por isso eu agradeço muito a todos os comentários, agradeço puxões de orelha, as chacoalhadas, as verdades que sei que são verdades, verdades que sei que não são verdades para mim, agradeço seu choro, seu riso... Eu tenho o maior prazer quando entro aqui e vejo que alguém se deu o trabalho de ouvir.
Porque sei que ninguém tem a obrigação de prestar atenção ao que digo. Este é meu Universo e AQUI eu tenho importância. Mas, fora daqui, eu sou menos que um grão de areia. Sou insignificante...
Então, em resumo: Quero e vou continuar a escrever para me entender. E, mesmo que não consiga, eu sei que alguém entenderá e me dirá.
Obrigada... De coração, agradeço.
Beijos enormes!!!

6 comentários:

Anônimo disse...

Quando eu postei um comentário no seu blog eu quis desabafar. Desculpe não ter me identificado, não era minha intenção iniciar uma discussão.
Tenho sofrido muito e compreendo muitas coisas que leio aqui, por isso quis comentar.
Sei que é difícil alguém entender porque as coisas são dentro da gente e doem sem que ninguém saiba.
Já ouvi todo tipo de coisa, que eu fui porque quis, que as pessoas só fazem com a gente o que permitimos.
Já me disseram também que a vida é feita de momentos e que eu devo guardar como um momento bom.
Sim, eu sabia que ele não me amava, mas eu o queria e não pensei em mais nada.
Talvez precise gostar mais de mim, porque cheguei a achar que era o máximo que eu merecia, que era o que a vida podia me dar.
Sofro por todas essas coisas, mas continuo minha vida, estudo, trabalho. Choro no banheiro, choro de madrugada, durmo e como pouco. Se fosse romantismo ou coisa parecida eu sentaria num banco de praça e ficaria lá até a vida passar.
No entanto, lavo o rosto de manhã cedo e vou trabalhar. Visito os amigos... me envolvo a fundo em suas dores e incrivelmente é isso que, aos poucos, tem sarado a minha dor.
Enfim, gosto de ler o que você escreve aqui e não vejo como romantismo... exige muita coragem se mostrar aos outros e expor sentimentos.
As pessoas manipulam, dissimulam, jogam o tempo todo... foi assim comigo. Eu estava num jogo onde eu não sabia jogar e não quero aprender.
Eu tinha muito amor pra dar. Amaria e cuidaria daquele homem o tempo que o tempo me desse.
Você, Gabrielle, tem muito amor a dar.
Mentir que já passou não vai me curar. Expor a dor faz com que ela se vá aos poucos. Quando eu estiver de pé novamente, voltarei aqui pra te contar e também novamente pra agradecer a atenção.

Gabrielle Avelar disse...

Não, meu bem... Você não iniciou uma discussão...
O que aconteceu é que alguém que me conhece e à minha história quis me dizer algumas coisas que não pode ou não quis dizer pessoalmente.
Bom, eu respeito da mesma forma.
E entendo você não querer se identificar. Nossa, como eu entendo.
Embora, como eu disse no post, eu prefira que se identifiquem... Mas, acho que a liberdade é algo muito precioso para que fiquemos jogando com ela.
Eu fico profundamente agradecida a Deus por saber que há quem se identifique com minhas dores. Por saber que posso ajudar alguém.
Isso já me faz sentir que valeu a pena ter passado tudo o que passei.
Claro que não irei expor aqui - pelo menos ainda não - tudo o que aconteceu... Eu tenho dito a respeito do que passou há pouco tempo. Muito pouco tempo.
Mas também tenho discorrido sobre o que aprendi durante anos de convivência a dois.
E, pelo fato de eu haver fracassado em meu casamento, eu tenho pensado muito e revisto meus conceitos sobre muita coisa. Acredito que tenho muito a dizer. E mais ainda a aprender.
Não acho que você precise gostar mais de si mais do que gosta. Acho que não encontrou a pessoa que compartilhe dos mesmos sentimentos que você. Assim como eu não achei.
Talvez esteja perto. Bem perto e não nos damos conta disto. Ou pode ser que não tenha ainda aparecido mesmo.
Porém, mais importante de tudo, é que temos de aprender a SERMOS felizes, e não ESTARMOS felizes.
Felicidade é mais que um estado fugaz. Ela é parte do indivíduo. Há também os infelizes.
Os felizes compreendem que sem tristeza de vez em quando perdemos o referencial: Precisamos do escuro para saber o que é claro. Do azedo para entender o doce, e assim por diante.
O feliz colhe em cada momento um motivo para ser mais alegre.
Você aprenderá, como eu aprendi, que caminhar de bobeira sem prestar atenção a coisa alguma pode lhe fazer muito alegre.
Só que sabemos que com o Amor da Vida é bem melhor. E que, se ele for nosso Companheiro de Existência, melhor ainda!!!
Pois, diga mesmo, aos quatro ventos, que você ama!!! E ame!!!
Até o dia em que você consiga ir além das nuvens para ver que o sol brilha lá em cima... A despeito das tempestades.
Não é fácil. Mas acontece. Pode ter certeza.
Chore, desabafe, venha até mim, ou a outra pessoa.
Quanto a mim, saiba que estarei disposta a ajudar no que puder. E, quando não puder eu lhe direi só o que sei: Vou pedir ao Pai para lhe confortar.
Eu é que agradeço a sua atenção. E peço para que não volte apenas quando se reerguer. Volte aos pedaços... Volte para reunirmos nossos caquinhos juntas...
Vai ser bom. Você vai ver!!!
Beijos!!!

Anônimo disse...

O mais difícil de reunir os pedaços e devolvê-los ao seu lugar é ter que voltar pra buscá-los pelo caminho... dói.

Elisa A. disse...

Gabi, minha amiga.
Você é linda e suas palavras qpenas refletem o que você é, sente, vive. Simples assim.

Gabrielle Avelar disse...

Ah! Como eu sei o que você sente. É que quando voltamos para reunir os caquinhos, invariavelmente pisamos neles... Dói mesmo, eu sei. Mas, o Pai consola e trata das feridas. Confie. Ainda que pareça que Ele não lhe ouve - e parece mesmo - saiba que Ele sabe o que você sente.
Que Ele lhe console. Suas lágrimas terão sentido para você mais tarde.
Sei que é muito chato isto o que lhe digo. Porque quando sentimos a dor, só nós sabemos o quanto dói. E ela é presente. Não conseguimos ver o que está a nossa frente.
Caminhe!!! Estou de mãos dadas a você. Esteja certa disto!!!
Beijo enorme!!!

Katia disse...

Linda, estou aqui em mais uma tentativa, espero que com sucesso, de comentar sobre o que tenhu lido por aqui. Também costumo escrever para aliviar a dor e seu subrinhu ja compartilhou e inspirou alguns dos longos textos e sempre lhe disse q escreveria um livro sobre nossa "tragedia romantica", mas nem sei se quero isso ainda! Rss... Ti admiro muito, tuas palavras se fazem tão vivas e reais que as vezes parece q chego a sentir tua dor, creio que talvez pq as vezes tbm seja um pouco a minha. =\ Estarei sempre aqui lendo e apreciando este seu lindo dom, e mesmo que muitos episodios não sejam felizes, sei que estes ainda virão pra nós, ainda encontaremos a pessoa certa que seja merecedora do nosso amor e que saiba bem a forma de retribuí-lo. Uma semaninha abençoada.