quinta-feira, 9 de julho de 2009

Frio!!!




"Perder uma luva é uma dor profunda,
Mas, não se compara à dor pungente

De jogar a outra fora

E achar a primeira novamente".
Piet Hein

Meu pai me falou esse poeminha ontem e ele me impressionou tanto!!!
Como é profundo o que se diz aqui, não acham?
Será que há ainda o que dizer a respeito?
Fiquei pensando a respeito da minha vida. E de tudo quanto tem acontecido. Hoje mesmo estou muito triste. Notícias nada boas...
Bom, o que eu quero dizer com isto tudo? Que agora tudo quanto eu andava pensando a respeito do tempo é mais verdade do que nunca.
Esse texto de Piet Hein convida-nos a uma reflexão, daquelas!!!
O que temos feito com o que nos é dado todos os dias e, por isso mesmo, chamamos de presente? São tantas as perdas, porém, a cada dia ganhamos muito mais do que perdemos. É necessário sermos cautelosos com o que fazemos, todavia, sem sermos prudentes demais ao ponto de deixarmos de viver as nossas vidas.
Guardemos a luva pelo tempo necessário. Se o tempo passar demais, joguemos a outra fora. Se acharmos seu par novamente, fazer o que? Agora, podemos ter novo par. Novinho em folha!!! Quem sabe um par mais precioso até que o primeiro.
Ou não. Fato é que deveríamos mesmo é parar de lamentar as perdas e pararmos de viver em função delas. Seguir em frente. Porque a vida é só uma. E ela só nos dá duas alternativas: Ou paramos e ficamos no mesmo lugar (a minha famosa dízima periódica), ou andamos para frente.
É como se ela fosse uma estrada que vai se desmanchando atrás de nós conforme andamos. Não nos é permitido voltar.
O máximo que podemos conseguir é parar. E, vamos combinar: Não deve ser nada bom ficar como uma estátua no mesmo lugar para sempre.
Deve ser a mesma sensação que tem alguém que fica preso numa sela solitária por anos a fio.
Aliás, sei bem como é isto.
Porque vivi durante anos na Caverna de Platão...
Dia desses acho que vou postar aqui um texto que escrevi há um ano sobre o Mito da Caverna e a minha vida.
Naqueles dias eu estava prestes a começar a maior mudança do meu viver... Arrependo-me - como se adiantasse - do modo como foi. Porém, eu não voltaria no tempo...
Não tem sido fácil. Mas está sendo bom. Estou feliz, apesar de muitas vezes ficar triste. E tenho muita paz.
Perdi o par das luvinhas... E, um lado do meu coração está com um frio danado!!!
Guardarei o que resta para aquecer, e colocarei a minha mão descoberta no bolso, até que um dia, ou encontre o par perdido, ou então, surjam as condições de adquirir novas luvas...
Enquanto isto, viverei do modo como posso, andando sempre para frente, com os caminhos se desfazendo atrás de mim. Ficarão na lembrança do que foram, e na certeza de que foram muito bem trilhados, ainda que em alguns momentos eu tenha ficado manca, e tenha parado para descansar um pouquinho.
Eu canso também!!! Ainda não desisti de andar...
Mas, que a mão está fria, ela está!

Beijos a todos!!!

2 comentários:

Elisa A. disse...

Lindo o seu blog. Mas tem que ler com calma, como se abre um presente. E a propósito, vi que você é uma Avelar. E de Goiás, como meu pai. Hum, será? Olha, amanhã vou separar um momento para ler as suas lindas palavras. Um beijo e fique com Jesus. E, a propósito, li também que nasceu em um lar cristão. A paz... Beijos,
E lembre-se: "O Senhor deu, o Senhor tirou, bendito seja o nome do Senhor."

Gabrielle Avelar disse...

Sim, bela Elisa... Louvado seja o nome do Senhor...
Ele tira as aparas para o nosso aperfeiçoamento.
E esconde luvas também para nos mostrar a capacidade de confiar na Sua provisão.
Beijo enorme!!!