sábado, 25 de julho de 2009

Asas de Borboleta...



Estou ainda meio zonza, sem saber o que aconteceu comigo ontem... Para muitos, entretanto, seria tão banal. Mas, nada para mim, agora, é banal.
Ontem, fomos eu e o Paulo - pessoa mais que linda - assistir à peça Simplesmente Eu - Clarice Lispector, com a Beth Goulart. Estou meio que sem saber o que dizer a respeito, porque tantas e tantas palavras foram ditas ali e nenhuma delas foi sem sentido para mim.
Todas, sem exceção, saíram de dentro de mim também. É como se aquelas palavras de Clarice, imediatamente, tomassem conta de mim como que por um encanto.
Estou, literalmente, encantada! Fascinada, maravilhada!
Foi tão mágico, mas tão mágico, que até caíram umas gotas de chuva ontem... Por mais incrível que possa parecer. Dava para contá-las no vidro do carro, mas foi o suficiente para que uma imponente sibipiruna que fica aqui nas proximidades de casa renovasse suas roupas inteiramente... Toda de folhinhas novas!!!
Sinto-me assim, hoje. Como se, ao cheiro das águas, tudo se houvesse feito novo.
Digo e repito, Paulo, minha alma ontem ficou um bocado melhor. Mais completa, eu diria. Pois, muito do que estava nu dentro dela foi vestido com as lindas palavras ditas naquele espetáculo.
Estou como a personagem Dona de Casa, da qual nem lembro mais o nome... Segurando as asas de uma borboleta, como quem deseja segurar o instante para que não se vá...
Minha mente e meu coração estão lá ainda, naquela sala de teatro ouvindo cada palavra dita ali. E, de tão frágeis que são as lembranças eu as seguro delicadamente por entre meus dedos. Mas, tenho medo de machucá-las... Por isto, solto-as aqui, nestas linhas. Todavia, em meu coração, seu pó mágico também está. Encantando-me, com cada memória guardada no som daquela alma tão... Tão, como posso dizer? Tão... Ai, meu Deus, faltam-me as palavras!!! Tão... Ah! Achei!!!
Tão Clarice!!! Claras, como só seu nome poderia ser...
Obrigada, mais uma vez, amigo querido!!!

3 comentários:

Anônimo disse...

Gabrielle,
Foi uma das mais belas apresentações que já presenciei. Quando podemos ver e sentir atuações tão brilhantes assim, passamos a admirar ainda mais o artista e a personagem. Virei o maior fã da Beth e da Clarice...Rs rs rs... Não sei se é exagero meu, mas realmente fiquei com o desejo de assistir novamente... Você não ficou? Eu terei o maior prazer em repetir a dose... É lógico que as sensações serão diferentes, mas valerá a pena ouvir de novo e fixar melhor tudo o que foi dito, tantas coisas lindas e interessantes, não acha?
O meu contentamento hoje foi ainda maior que o teatro de ontem... Sinto-me "extasiado" diante de tão generosas palavras e, desta vez, de modo mais especial... Obrigado, Gabi, muuuuuuuito obrigado!!!! Beijos. Paulo.

Elisa A. disse...

Ah... que delícia ir ao teatro. Aqui na terra dos tupiniquins, no mau sentido da palavra mesmo, estamos tão aquém !!! Com poucas livrarias, pouquíssimas peças teatrais e quaser nada de concertos musicais.
Fiquei realmente encantada com suas palavras hoje.
Ótimo domingo, linda. Fique com Jesus.

Gabrielle Avelar disse...

Lindos vocês dois!!!
Obrigada, eu é que me sinto, Paulo, em agradecer tamanha generosidade! Minhas palavras são nada perto de sua sensibilidade e delicadeza para comigo e meus sentimentos.
E, Elisa, concordo. E, como sei que você é uma amante das artes, como eu, recomendo a peça... Assim que ela estiver aí na sua terra, corra para comprar os ingressos e assistir. Tenho certeza de que você não irá se arrender...
Beijos enormes aos dois!!!