quarta-feira, 22 de julho de 2009

"Liberdade, Liberdade! Abre as asas sobre nós!"

"E um tribuno disse: 'Fala-nos da liberdade.' E ele respondeu: 'Às portas da cidade e em vossos lares eu vos vi prosternar-vos e adorar vossa própria liberdade, Como escravos que se humilham perante um tirano e glorificam-no embora ele os destrua. Sim, na alameda do templo e à sombra da cidadela, tenho visto os mais livres dentre vós carregar sua liberdade como um jugo e um grilhão.(...)
Na verdade o que chamais de liberdade é a mais forte dessas cadeias, embora seus anéis cintilem ao sol e vos deslumbrem.(...)
E se é um déspota que quereis destronar, verificai primeiro se seu trono erguido dentro de vós está destruído. Pois como poderia um tirano dominar os livres e os altivos se não tivessem tirania na sua própria liberdade e vergonha na sua própria altivez? E se é uma preocupação que quereis eliminar, essa preocupação foi escolhida por vós mais do que a vós imposta. E se é um temor que precisais dissipar, o centro desse temor está em vosso coração e não na mão do temido' (...)"

Gibran Khalil Gibran - O Profeta.


Gibran, mais uma vez...
Tenho pensado muito a respeito de liberdade ultimamente. E no fato de gostamos muito de ser cativos...
Quando Platão escreveu A República e lá contou-nos a história dos seres que vivem acorrentados em uma caverna - o famoso Mito da Caverna -, ele entendeu que todos nós, de alguma forma, somos prisioneiros. Nem que seja de nós mesmos.
E até a liberdade pode ser a corrente de uma prisão.
Isto porque muitos acreditam que liberdade é poder ir e vir a qualquer hora que quiser. É não estar preso em uma cela, ou ainda em casa... Liberdade é, antes, poder se expressar, poder sentir!!!
Quando se tem a perfeita percepção do que é isto é tão maravilhoso!!!
Mas, a verdade é que gostamos de ser presos.
Presos pelo amor, presos pela alegria, presos pela tristeza, pela angústia, pela solidão, pelo medo da solidão, pelo medo simples, pelo medo do medo... Enfim, há milhares de prisões nas quais estamos e nem percebemos...
Por mais maravilhoso que seja amar, o amor pode ser uma das prisões mais cruéis que se pode imaginar. Sim, porque muitas vezes "deixamos", de amar algumas pessoas. Todas as vezes que nos aborrecemos com alguém a quem amamos, simplesmente faz com que o amor morra um pouquinho. Daí entra em ação o perdão. Sabe porque é tão difícil perdoar - fazer o amor brotar novamente? Porque somos ensinados que devemos amar sempre. E, não! Não amamos sempre!!! Muitas vezes, detestamos!!! E, quando nos damos conta disto, ficamos decepcionados... Consoco e com o outro... Conosco porque estamos presos à ideia de que devemos sempre gostar, com o outro porque nos faz sentir assim.
E é bom ser alegre, mas nem percebemos que a alegria é um dos mais pesados grilhões que temos de carregar durante a vida. Sentir-se triste é algo totalmente normal.
Aliás, não nos damos conta de que passamos a ter a obrigação de sermos felizes e bem sucedidos o tempo todo.
Não!!! Digo como veemência: NÃO!!!
Por que não posso chorar de vez em quando? Oras, é tão bom saber que temos esta válvula de escape...
Por que temos de ser sempre tão equilibrados? Se algo nos aborrece, por que temos de fazer o tempo todo uma carinha de "não-aconteceu-nada"?
E é muito interessante o trecho em que o Profeta fala do déspota...
Sim... Quando desejamos nos livrar do jugo de alguém, não adianta que ela simplesmente deixe de existir.
Ela precisa, antes, deixar de existir em nosso coração. Suas correntes precisam deixar de acorrentar nossos sentimentos e nossos pensamentos, até o ponto em que não importa o que faça, simplesmente não fará diferença, porque ela já não existe em nosso coração.
Pode espernear, pode acabar com sua honra, pode ameaçar matar você, pode tirar tudo de você: Não importará mais, porque você é, de fato, livre!!! Não sente mais nada em relação a ela. Nem medo. Nem amor ou ódio... Nada. Aí, sim, você é livre... Nem mágoa conseguirá sentir. Liberdade!!! Ufa!!! Como é bom!!!
Parece cruel e frio, eu sei. Porém, nada pode ser pior do que uma prisão emocional. Nada pode ser pior do que sentimentos a que nos vemos obrigados a sentir. Porque a vida passa depressa demais para que fiquemos atrás de grades das quais nem o tempo pode nos livrar.
Porque uma prisão material é terrível. Porém, por mais longa que ela seja um dia cessará, ainda que com a morte cessará.
E, ademais, podemos ser livres em toda e qualquer situação. Mas não podemos ser livres quando estamos cativos em nós mesmos, com grilhões que nos seguem e perseguem por toda a vida.
Lembram-se da história do cachorro e da galinha morta no pescoço?
Pois é... Muitas vezes essas prisões em que estamos encerrados funcionam como a lembrança do odor repugnante do cadáver que um dia ficou pendurado no pescoço.
Tudo pode nos aprisionar. Tudo. Mas, se você aprende a ter liberdade... Hummmmmm!!!
Sabe o que é uma das melhores cartas de alforria do universo inteiro? VERDADE!!!
Ser verdadeiro com o que sente. Ser verdadeiro com o que faz. Ser verdadeiro com as consequências do que faz. Ser verdadeiro com o que fala, e com a repercussão do que diz.
Isto quer dizer: Se estou triste, estou triste; se amo, amo; se odeio, odeio; se fiz algo que não deveria, sofro as consequências; se falei, assumo o que disse...
Simples assim.
LIBERDADE quer dizer, em suma, VERDADE!!!
Vejam só: Até rimam!!! Hehehehe!!!
Bom com isto tudo, eu só quero desejar, de todo o meu coração, que todos vocês sejam livres!!! Que a verdade os liberte em todos os sentidos, principalmente de vocês mesmos e dos medos - as galinhas mortas - que estão em vocês.
Que nenhum sentimento, por qualquer pessoa que seja, possa lhes causar a dor e o sofrimento de fazer com que você se sinta preso a uma vida que não gostaria de viver.
A vida passa tão depressa... Se nos déssemos conta disso...
Apenas quando verdadeiramente livres é que poderemos saber o verdadeiro sentido daquilo que sentimos... Só quando há liberdade há amor, de fato. Há alegria verdadeira. Risos sinceros... Lembremo-nos disso!!!
Para concluir, quero só dizer: Amo, sim... Mas que o amor que sinto seja liberdade a quem amo!!!
Beijos a todos!!!

6 comentários:

Elisa A. disse...

Ei linda. Passadinha rápida para registar um beijo. Amanhã escrevo com mais calma. Beijos no core. Fique com Jesus.

Elisa A. disse...

Afinal, amiga, o que é mesmo liberdade? Somos livres?

Gabrielle Avelar disse...

Elisa, amiga querida,
Para nós outros que estamos nEle, Ele é a liberdade, posto que é A Verdade...
Então, claro, somos livres, para honra e para a glória do Pai que vive para sempre!!!
Beijo enooooorme para você!!!

Elisa A. disse...

Ei linda. Quando pergunto é porque temos tanto de 'humano' em nós. Temos tanta carne, sabe? E visualizo isso como uma prisão, como algo que temos que transpor diariamente. Dia após dia. Temos que abrir nossa gaiolinha de auto afirmação, orgulho, pequenez. Então, temos que lutar pela liberdade, no Senhor, dia após dia. Um beijo no coração,

Anônimo disse...

Gabrielle,
Achei simples, mas perfeita e completa a sua definição sobre liberdade: "liberdade quer dizer, em suma, verdade." Isso mesmo! Parei um pouquinho para pensar e acho que você tem razão, porém, peço a sua licença para "incrementar" o seu pensamento: A liberdade é a sintonia da consciência com o amor à vida através do canal da VERDADE... Beijos! Paulo

Gabrielle Avelar disse...

Mais uma vez, Paulo, Obrigada!
Seu post no Universo foi magnífico!!! Na verdade, eu teria muuuuuuuuuuuuuuito a escrever a respeito dos três: Liberdade, Verdade e Amor...
Mas, sabe, acho que tudo se resume ao terceiro.
Como disse magnificamente o apóstolo Paulo na primeira carta aos Coríntios, na parte em que reservou ao amor, o capítulo 13, ele é a essência de tudo. Está, incluso, acima da fé e da esperança. porque, sem ele, nada poderia existir. Pois, foi por causa do amor que Deus nos formou, e teceu a história e o tempo, para que seus supremos propósitos fossem, um dia, claros aos nossos olhos.
Gostaria tanto que todos pudessem enxergar aquilo que é tão simples de ver... Mas, para tanto, seria necessário tirar os espelhos de seus olhos...
A vida é muito simples, mas nós a complicamos dizendo muitas mentiras e falseando a nosso próprio respeito.
Eu penso que a verdade é SEMPRE o melhor caminho... É difícil, no começo, suportar as consequências dela, mas depois, é muito gratificante.
E eu não falo daquela mentira boba. Falo daquela mais perigosa: A que se esconde por trás da realidade, algo que beira à fantasia. Que se parece muito com o real, mas que não é...
Ainda falarei a respeito disto... Estou remoendo a peça de ontem... E há muito o que se dizer e eu direi!!!
Beijo enooooorme!!!