domingo, 13 de setembro de 2009

No Colinho!!!
















Que dia maravilhoso foi este domingo!!!
Hoje eu não fiz o que era habitual. Apesar de o habitual ser maravilhoso também.
O costume é todos os domingos ir para a casa dos meus pais, ou dos meus avós ou do meu primo. Enfim, ficar com a minha família mais que amada.
Todos os domingos são de alegria imensa, embora eu não permita que os outros percebam isto.
Só que amo ouvir as risadas dos meus. Seu jeito simples de ver a vida, a leveza ou o peso que carregam.
Ficar perto já me dá alento e uma carga extra para passar a semana.
Esta semana, entretanto, eu ganhei uma nova "pilha" para experimentar.
Foi tudo novo para mim.
Havia mais de 20 anos, eu acho, que eu não andava de moto. Sempre tive medo. E, a última vez foi com um tio meu, andando bem devagarzinho para eu não cair.
Confesso que não gosto nem um pouco da sensação de insegurança, de fragilidade, de vulnerabilidade que a motocicleta nos dá. Porém, tenho a consciência de que os automóveis nos dão uma falsa sensação de segurança. São mais seguros, é verdade, mas essa sensação é o que faz com que nos arrisquemos mais. Com manobras arriscadas, velocidade elevada... Eu que o diga! Pé pesaaaaaaaaaado!!!
Então... De moto fomos ao Jardim Botânico, local aqui do Distrito Federal que nunca havia visitado. Lugar aprazível, mas que poderia ser bem melhor... Porém, valeu a visita pelo magnífico Jardim dos Aromas... Muitas ervas aromáticas que fazem parte da minha infância: Mangericão, alecrim, malva rosa, poeijo, hortelã, menta, boldo, cavalinha, lavanda, erva doce, citronella... Isto sem falar no cheiro do cerrado, que também é maravilhoso.
E um dia queeeeeeeente, lindo, aberto, céu magnificamente azul.
Depois, almoço! Huuuuuuuuuuuum... Que delícia!!!
Só o suco já teria valido a pena. Outro gosto da minha infância, desta vez, os tempos passados em Natal, terra de minha mammys: Suco de mangaba - da própria fruta, não era polpa!!! Uma jarra cheia, da qual só dei conta de tomar dois copos.
Outro fato inaudito: Comi quase a mesma quantidade que meu amigo!!! Mais de meio quilo de comida, gente!!! São quase 22h e até agora eu não tenho fome!!! Hehehehehehe!!!
No meio do caminho, o convite para ir com os sobrinhos dele comprar o presente de aniversário do pequeno...
Deixada a moto em casa, de carro fomos buscar os pequenos. Liiiiiiiiiiiiiindos!!!
A menina me deixou encantada, tamanha a sua beleza. Era impactante. Olhos claros, puxadinhos, narizinho arrebitado, sardas bem clarinhas, cabelos cor de mel.
O rapazinho igualmente lindo, mas ela era um encanto. Não sei se me encantei porque sou louca por meninas, mas realmente ela me cativou.
Na volta para deixar as crianças, eles dormiram. E lembraram-me, mais uma vez, de quando eu era pequena.
Muitas vezes, ao voltar de algum lugar, eu adormecia no carro. Sempre tive o sono leve. Sempre.
De forma que, quando meu pai me chamava para sairmos do carro, invariavelmente eu o estava ouvindo. Só que, por diversas vezes eu continuava com os olhinhos fechados só para ele me carregar no colo. Amava o colo do meu pai.
Aliás é uma das lembranças mais doces da minha vida. O colo do meu pai.
Quantas foram as vezes em que fiquei deitada horas a fio sobre a barriga dele. Não dormia. Mas era tão bom que eu ficava ali, escutando sua respiração, as batidas do seu coração, sentindo o cheirinho bom dele, o calorzinho gostoso e sua voz cantando para mim... Tantas músicas de que ainda me lembro.
Há pouco tempo eu tive novamente essa experiência. Foi no feriado do Dia de Tiradentes. Dessa vez, de tão bom que foi, eu dormi. Lógico que não com meu pai... Mas, isto não vem ao caso.
De qualquer forma, eu tenho viajado no tempo...
E tem sido tão gostoso, quente e aconchegante como o dia de hoje. E tão alegre quanto tem sido a minha vida.
Tive vontade de pegar aquela menina no colo hoje quando chegamos. Não queria que ela acordasse só porque eu sei que é tão gostoso ser carregada.
Se ela soubesse que vai precisar carregar a vida, e que suas pernas terão de sustentar a sua história que, com os anos que passam, fazem os joelhos mais frágeis, ela teria continuado com os olhinhos fechados como eu fazia.
As pernas pesam, não porque a vida fica mais difícil, mas é porque a vida tem o peso da história que vivemos.
O coração, a alma, os sentimentos ficam mais leves. Nada mais é novidade. Só que, se nos livramos de pesos, é porque um dia eles estiveram sobre nós. Por isto, o corpo sente tardiamente os "abusos" sentimentais que cometemos.
Uma pena, ao meu ver.
Linda menina de olhos verdes... Queria você nos meus braços! Daquele mesmo modo como você segurou a boneca que acabava de ganhar do titio. Tomara que você tenha o privilégio de ser colocada no colo muitas vezes assim como eu. E, quando chegar a ser mulher, que um dia o seu amor a coloque sobre o peito também. E que você durma, de tão bom que é ouvir o som do coração, sentir o cheiro e o calorzinho gostoso do aconchego.
E que você possa ver outra menininha e desejar o mesmo para ela.
Eu, por minha vez, quero colinho... E também quero vento no rosto, dias de sol e suco de mangaba, assim como quero dias frios e ficar aconchegada e, simplesmente, amar.
Só que, da próxima vez, eu juro que subo em uma árvore, que é para a criança que mora dentro de mim, voltar para ficar.

Boa semana a todos!!!

17 comentários:

Cláudia Paulino disse...

Gabrielle, vc escreve lindamente... nossa, que delícia te ler !!! As lembranças da infância sempre mexem comigo, acho que a gente tem sempre que voltar lá no passado pra não se esquecer nunca dessa "criança" que existe dentro da gente... aromas, sabores, brincadeiras, colinhos (eu tbm era louca por colo...) tudo isso enche o coração da gente de sensações boas !!!
Lindo !!! Adorei. Obrigada por compartilhar esse momento gostoso com a gente... Beijos lindeza !!!

Gabrielle Avelar disse...

Ô, Claudinha... Quanta delicadeza!!!
Obrigadinha, fofa!
Tenho o maior prazer em compartilhar aquilo que me dá alegria... E o que não é tão alegre também. Porque a vida é mais gostosa quando podemos compartilhar. Dividir é melhor do que carregar cargas sozinho, ou ainda se sentir leve demais e ao mesmo tempo culpado porque nosso próximo está carregando fardos pesados demais para ele...
Agradeço tanto a vocês que sempre estão aqui comigo!
Obrigadíssima!

Anônimo disse...

Gabrielle querida,sabe o que acho estranho ou interessante, você sempre dá um jeito de falar do seu bofe, mesmo quando o assunto não tem nada haver.Acredito que se você contasse logo tudo, desabafasse mesmo, ficaria mais leve e isso passasse melhor.Você fica poupando os outros à toa.

Gabrielle Avelar disse...

Bom... Ele acaba sempre aqui porque é a experiência de amor mais forte e profunda que já tive na vida. É isto.
Talvez, quando eu me distanciar mais - eu disse talvez - eu fale mais claramente no assunto.
Mas, não acho legal escancarar tudo assim... Mesmo porque agora ele está vivendo a vida dele. E eu a minha. E a minha está tão leve, mas tão leve, que até poderia compartilhar pesos alheios, Hehehehehehe!!!
É a minha história. E são os meus sentimentos. Falar abertamente poderia ferir sucetibilidades e não estou disposta a fazer isto.
Sabe, eu não faço com os outros o que não gostaria que fizessem comigo.
Se houvessem agido assim comigo também, talvez muitas mágoas teriam sido evitadas.
Preciso preservar a intimidade alheia, já que não estou preservando a minha.
E tantos jogam pedras assim mesmo! E eu as recebo todas. Magoam-me, sim, claro! Porque a minha vida não pode ser vivida por outro alguém.
As dores de uma pessoa são apenas dela. O máximo que se pode fazer é ficar perto e oferecer companhia e ajuda.
Não se pode sentir a dor dos outros. Identificamo-nos com elas. Mas, definitivamente, elas não são nossas!!!
Isto é que eu gostaria que entendessem. Que, mesmo assim, eu sou feliz!!! Mesmo!
Para você ver, um dia como o de ontem me fez tão alegre... E foram momentos tão delicados. Tão singelos... Por isso mesmo tão especiais.
Deixe o Bofe!!! E, quando eu mencionar nossos momentos, não pense que os menciono cheia de mágoas. É que eles foram muito bons. Não tenho do que reclamar. A não ser que alguém me diga algo que ele tenha feito de horrendo comigo e que eu não saiba. Mesmo assim, é bem provável que eu não fique com raiva. Afinal, já passou.
Então, fica acertado assim, que continuarei poupando os outros. Porque acredito que não é em vão!

Anônimo disse...

É,você que sabe. E ele tá mesmo vivendo a vida dele e muito bem, pelo que parece. Portanto, continue assim, já já você viverá momentos ainda melhores!

Anônimo disse...

Ah,Gabi, não é possível que você seja tãaaaao santa, sangue frio, assim!Você não sabe já o suficiente para ter o que reclamar, quer mais!

Gabrielle Avelar disse...

Nossa... São tantos comentários de Anônimos que nem sei se são a mesma pessoa!!! Hehehehehehe!!!
Bom, já que é assim, responderei por post, ok?
Primeiro: Também concordo que a cada dia eu viverei melhor... Experiências que se acumulam são menos pesos que carregamos, assim, na mesma proporção.
Agora, quanto ao segundo... Santa, eu????????? Nem pensar!!! A não ser na acepção de ser "separada", em Cristo.
Nem sangue frio! Tenho o sangue mais quente que se possa imaginar. Só não gosto é de confusão para o meu lado. É só isto!
E... Não, não quero mais!!! Hehehehehe!!!
Sabe, apesar de tudo, eu sempre penso que poderia ser muuuuuuuito pior. Mas, eu sou muito grata a Deus por tudo. Muito!
Repito: Como sou feliz!!!
Há pessoas que até diriam: "Ah, se ela precisa afirmar tanto é porque não é tão feliz assim".
Só lamento para os que pensam deste modo. É que minha "boca fala do que está cheio o coração". E o meu está cheio sabe do que?
De vida!!!

Adri Polo disse...

Gabi,lindas essas lembranças ...Amooo o colinho do meu pai.Tb fingia que estava dormindo para ser carregada...E tenho sorte por hoje ter o colo do meu pai ainda e tb do meu amor...Beijo querida e da próxima suba mesmo na arvore...A vida precisa ser experimentada.

Anônimo disse...

Que coisa mais linda, Gabi!!! Só tenho a agradecer o carinho com os meus sobrinhos. E como achei legal vocês duas ontem... Parecia que já se conheciam há tempos, não é? Com certeza ela também adorou você... Aliás, quem não se encantaria com esse seu jeito tão doce de ser? Beijos. Paulo.

Gabrielle Avelar disse...

Adri, amada!!! Árvores ainda serão tema de um post por aqui...
Era meu passa-tempo predileto...
Colinho é boooooooooom, né? Hehehehehe!!!
Paulo, querido... Não agradeça porque aquelas crianças são uns amores. E, realmente ela é uma princesa: Linda, linda, linda... E meiga!!!
Beijão e obrigada!!!

Dom Rafa disse...

Quantas sensações! Realmente, foi um domingo bem movimentado... Ha que tempo eu não vou ao Jardim botanico. Me deixou com saudades de lá. =)

Gabrielle Avelar disse...

Oi, Rafa! Obrigada pela ilustre visita! Sinto-me muito honrada com sua presença aqui. Amo seus textos!!!
Parabéns!

Adri Polo disse...

Gabi linda,apareça com suas doces palavras.Beijocassssssss

Gabrielle Avelar disse...

Oi, Adri... Você sempre gentil!
Eu ando mesmo sem tempo... E, cofesso, um pouco sem inspiração. Acho que a TPM está me rondando, hehehehehehe!!!
E eu ando um pouco circunspecta, mesmo.
Mas, eu acho que hoje o dia renderá um post bem legal.
Um beijo enorme, linda!

Elisa A. disse...

Que lindo o layout do seu "novo" blog. Amei, de coração !!!
Essa semana está diferente para nós. Estamos dormindo super cedo, acredita?
Muitos beijos, querida. Estou morreeeeendo de sono, acredita? rs
Beijos e mais beijos !!!

Adri Polo disse...

Esses dias assim amiga,rendem os melhores posts !!!Se dê tempo...A gente espera minha linda.Com saudades!

Gabrielle Avelar disse...

Linda Elisa! Quantas saudades!!!
Volta logo!
Que bom que gostou do novo layout... Quando eu vi, eu nem percebi que está quase igual ao seu!!! Hehehehehe!!!
Mas, ainda bem, não é? Significa que você e eu temos bom gosto!!! Hehehehehehe!!!
Beijo enoooooooorme!!!
Adri, está feito: O post novo saiu... Sempre em construção, é verdade. Mas, ufa! Dei conta!!!