domingo, 18 de abril de 2010

Gracias


Mais um daqueles fins de semana para relembrar...

A semana, apesar de difícil por causa de tanta tosse, e mal estar, foi memorável também. E, embora ele diga que eu não preciso agradecer por seus cuidados, eu preciso. É que, depois que a gente passa na vida o que eu passei, não perde uma só oportunidade de se mostrar grato.

Eu sei que tudo o que vivi foi apenas para que eu passasse a ter exatamente esta percepção da vida. Ser grata. Ser extremamente grata. Por tudo. Ainda aquilo que não é muito agradável de se passar.

Ser professora não é fácil. Significa monitorar miles de cabecinhas que não tem a menor noção de como é importante passar pela fase que eles estão vivendo. Eles acham que estamos ali apenas cumprindo o papel de dar aulas, e eles o de ficar na sala de aula ouvindo coisas chatas que eles pensam que para nada lhes servirá no futuro...

E eu comprovei isto nas provas que eu dei. Depois de haver dado aulas explicadinhas, repetido algumas coisas à exaustão, depois de haver preparado material didático com todo o cuidado e carinho para que eles não se perdessem com o novo idioma que estavam aprendendo, depois da revisão em que eu praticamente dei a prova, advinhem: Chuva de notas baixas...

Para um professor isto é a morte. Não temos o menor prazer em que isto aconteça. Pelo menos eu não. Eu tenho uma satisfação enorme quanto eu corrijo algum trabalho, um exercício, uma prova e está tudo certinho.

Não é que gostemos mais dos alunos nota 10, mas é que eles nos fazem ter a sensação de que nosso trabalho vale a pena. Que não estamos ali em vão. Que alguém está ali com a cabeça voltada à aquisição de conhecimento.

Amo o conhecimento. Amo. E amo da mesma forma quem o ama também. Queria que todos eles aprendessem a amá-lo também.

No meio disso tudo estava o Meu Príncipe... Me ajudando. Aplacando um pouquinho do meu esforço. Eu pedi, é certo. Mas ele atendeu ao meu pedido com enorme satisfação e alegria.

Tudo bem que o coitado não dormiu... E, por causa dos compromissos dominicais, acabou por não conseguir descansar tanto quanto deveria para poder ir ao trabalho.

Mas hoje - o domingo - foi mais um dia para eu relembrar... O dia azul que se ergueu ajudou mais ainda na construção das lembranças. Sim, porque, com ele, os dias azuis ficam ainda mais lindos...

Fomos ao parque. Fazer caminhada... Entre um passo e outro, entre uma tosse e outra, entre uma palavra e outra, entre um silêncio e outro, havia as mãos dadas. Como sempre. E a memória foi para meses atrás quando, lá no parque, andamos descompromissadamente, e noutro dia ainda falamos - muito - sobre nossas vidas. Hoje eu só tive a coragem de lhe perguntar: "Será que você gosta tanto da minha companhia como eu gosto da sua?" Apesar da resposta, ainda acho que sou muito cansativa...

Depois, veio o almoço... Eu, caladinha, lembrava que a primeira vez em que estivemos ali foi um dos domingos mais especiais que ele já me proporcionou. Nem namorávamos ainda. Mas, não nos deixávamos... Era irresistível para mim estar ao lado dele, ainda que relutante, cheia de dúvidas, medos e inseguranças...

Ainda depois, palavras e histórias um pouco diferentes para mim. Pois estou conhecendo um mundo que ainda desconheço. Mas, só de ser uma parte dele já me faz sentir que é necessário eu saber do que ainda não sei. Ainda que seja um modo diverso ao meu. Ainda assim é o caminho do homem que eu aprendi a amar.

Eu absorvo tudo quanto está à minha volta pois não quero perder a vida que se descortina à minha frente. E vejo tudo, e escuto tudo, e medito sobre tudo. Pois, como eu disse, amo o conhecimento.

Tenho mesmo de fazer isto... Emocionada...

Obrigada... Mesmo!!!

Obrigada pelos cuidados das duas semanas que se passaram. Não sei o que teria sido de mim sem você por perto. Só eu sei o quanto estava me sentindo mal. E você segurou minhas pontas, e isto, na verdade, já vai para umas três semanas... Vou sarar... Ficar melhor, você vai ver!!! Voltar à velha forma de tagarelices e palhaçadinhas.

Agradeço muuuuuuuuuuuuuuito por haver encurtado meu trabalho pela metade. E pela alegria e disposição em me ajudar.

Obrigada pelo dia de hoje. Pela caminhada gostosa... Se pudesse disporia de sua companhia pelo menos umas 3 vezes por semana para ficar em forma novamente!!! Mas, a distância ainda é um problemão para nós... Há de passar!!!

Obrigada por compreender meus medos, minhas ansiedades. E, ainda quando eu sei que não compreende, obrigada pelo respeito. Por saber que a vida nos fere e nos deixa cicatrizes profundas, algumas até doloridas.

E, claro, não posso deixar de dizer também: Desculpe!!! Hehehehe!!! Por ser tão folgada!!! Hehehehehe!!! E por simplesmente achar que eu já faço tão parte assim da sua vida que nem me dou o trabalho de perguntar se quer mesmo que eu vá junto!

É que para mim é tão natural estar com você que eu, muitas vezes, nem me dou conta de que você não tem ainda a obrigação de me aturar o tempo todo que Deus dá!

Mas, no que diz respeito a mim, eu só posso dizer que é maravilhosa a sua companhia. E que eu gostaria de fazer muito mais.

Não me peça para não agradecer. Pode ser que um dia eu me acostume e deixe de fazê-lo. Mas, sabe de uma coisa? Não quero que isto aconteça.

Por isso, obrigada. Muito. Mesmo.

6 comentários:

Anônimo disse...

Gabizinha,

Olha que eu vou ficar mal acostumado de ficar recebendo tantos elogios e agradecimentos assim, viu? He he he... Só estou fazendo o meu papel (prazeroso) de amigo e seu companheiro de todas as horas... Realmente, todo trabalho novo, para mim, é divertido e interessante, pois qualquer ocupação, por mais simples que seja, você acaba aprendendo algo ou tira alguma lição, não acha? Aquele de anteontem eu relembrei muito os meus momentos de péssimo aluno que fui(principalmente em matemática) e outros momentos (raríssimos)em que tirava um "10". Eu é que agradeço... Gostei muito dessa brincadeirinha de ser um "projeto" de professor... He he he...
Bom, não digo que ontem foi aqueeeeele domingo. Poderia ter sido muito melhor e mais proveitoso pra você se não fosse os meus "horários de lobisomem"... Eu tinha quase certeza de não conseguir assistir a palestra, mas a vontade de ouvir o Divaldo era maior que as minhas condições físicas. Pelo menos, você disse que gostou. E, por isso, já valeu a pena...
Tenho a certeza que esta semana estará curada dos seus "cof-cofs". Porém, acho que isso já poderia ter acontecido, se você conhecesse um certo elemento líquido, inodoro e incolor, excelente hidratante e lubrificante, que alimenta e auxilia na eliminação dos radicais livres do organismo, ajudando na recuperação de qualquer mal. Chama-se ÁGUA! He he he... Uma ótima semana pra você, linda! Beijos!
Paulo.

Gabrielle Avelar disse...

Ah, Meu Bem... Você sabe, para mim tal remédio é pior que xarope!!! Hehehehehe!!!
^^

Anônimo disse...

Gabrielle,acho que vc exagera demais, falando "que viveu o que eu vivi...Oh,que coisas terríveis,minha nossa,vc não tem noção da realidade não,vc é tão sofisticadamente pseudointelectual que não deve ter tempo de viver no mundo dos pobres mortais!Vc devia pelo menos ver os depoimentos do final da novela do Manoel Carlos, Rede Globo,já ouviu falar,novela depois do jornal,sabe do que falo,ou não assiste a flolhetins,deve ser!Minha queridinha,vc tem uma vida ótima pelo jeito,suas coisas são as mesmas que toda mulher que vive passa.Helloooooooooo!!!ih,começou Alice no País das Maravilhas!!!!!Desse vc deve gostar.Desculpe mas acredito que posso expressar minha opinião,uma amiga me indicou o seu blog mas não achei que fosse tão xarope.Desculpe-me de novo,xarope vc não vai sacar.Significa PIEGAS.

Gabrielle Avelar disse...

Engraçado você dizer que uma amiga lhe indicou meu Blog... O que, em tese deveria significar que não me conhece. E, se não me conhece, também em tese, não deveria criticar a minha vida como se já a conhecesse. E, ainda que tivesse vivido comigo todos os dias de sua vida, não poderia fazer tal comentário, porque a vida só diz respeito a quem a vive. E a ninguém mais.
Não sabe coisa alguma da minha vida de sofisticada pseudointelectualidade... Não sabe quantos livros eu li na vida, quantas horas eu estudo por dia, quantas vezes na semana... Não sabe como são as minhas relações e com quem são.
E, o fato é o seguinte: Como eu sempre digo, aqui a pessoa mais importante sou eu.
Vivo uma vida bem real... Muito boa mesmo... Demais até. E até assito às novelas - aliás as de Manoel Carlos sempre foram as minhas prediletas, olha só - justamente por gostar de ver coisas que todas as mulheres vivem e passam... Porque sou uma mulher que vive e passa pelo que toda mulher vive e passa!!!
E me orgulho muito disto...
E... Sabe de outra coisa? Não desculpo não... Porque DETESTO indelicadezas... Principalmente de quem gosta de jogar pedra e esconder a mão.

bellyf disse...

Ah sempre que leio acho bom, eu gosto do seu blog *-* e aprendo muito com seus conselhos!vim aqui deixar um comentario!
Beiiijos
Belly ;*

LaiStefâni disse...

Querida professora de espanhol,

Estava eu, navegando por esse mundo de blogs(que eu também adoro), quando me surpreendi com um nome e uma foto conhecidos.
Fiquei muito contente por vê-la aqui. E li muitos textos de sua autoria(que eu gostei bastante).
Também adoro muito escrever. Acho uma das formas mais bonitas(se não for a mais bonita) de expressar aquilo que, muitas vezes agente não consegue ou não tem a oportunidade de falar.
Bom...Creio que seja mesmo dificil ser professora. É uma profissão bonita, que exige bastante paciência para lidar com aquelas pessoas que realmente, se imaginam apenas assistindo uma aula, e não, APRENDENDO algo novo. Mas, junto com o dificil, vem o fato de saber que muitas pessoas que querem aprender, tem muito mais facilidade quando os professores se esforçam tanto para passar aquilos que eles tem de melhor.
É isso! Só queria mesmo, dizer que passei a segui-la por aqui.
Um beijo ^^